Mundo

Integrantes da Al Qaeda mortos em ataque no Iêmen

Segundo uma autoridade iemenita, as forças americanas atacaram alvos da Al Qaeda

País vive conflito desde 2014País vive conflito desde 2014 - Foto: Saleh Al-Obeidi/AFP

 

Pelo menos 14 suspeitos de pertencer à rede Al Qaeda e um soldado americano morreram ontem na primeira operação militar de tropas especiais americanas no Iêmen desde a chegada de Donald Trump à Casa Branca.

O ataque, realizado em Yakla, no Centro do Iêmen, com drones e helicópteros Apache, destinava-se a alvos da Al Qaeda, informou uma autoridade iemenita que pediu para ter a identidade preservada.

A fonte reportou um balanço mais elevado do que o divulgado pelos Estados Unidos, com 41 supostos membros da Al Qaeda mortos, entre eles chefes, assim como oito mulheres e oito crianças.

Segundo uma autoridade iemenita, as forças americanas atacaram alvos da Al Qaeda em uma escola, uma mesquita e um ambulatório. O líder local da Al Qaeda, identificado como Abu Barazan, de nacionalidade estrangeira, está entre os mortos na operação, acrescentou.

No ataque também morreram três líderes tribais vinculados à Al Qaeda: os irmãos Abdelrauf e Soltan al Zahab, além de Saif Alawai al Jawfi, informaram fontes tribais e locais.

 

Veja também

Reino Unido confirma transmissão local da varíola dos macacos
Doença

Reino Unido confirma transmissão local da varíola dos macacos

Inundações deixam cerca de 60 mortos em Bangladesh e na Índia
enchentes

Inundações deixam cerca de 60 mortos em Bangladesh e na Índia