Irã aplica Lei de Talião em agressor de menina que ficou cega

Este foi o segundo caso de aplicação da lei desde o início de 2016

Capital do Irã, TeerãCapital do Irã, Teerã - Foto: Reprodução/Google Maps

Um iraniano foi cegado nesta terça-feira por ter feito uma menina de quatro anos de idade perder a visão após jogar um produto químico em seu rosto, anunciou uma fonte da Procuradoria de Teerã, citada pela agência de notícias Isna.

"Este homem tinha jogado, em 2009, cal no rosto de uma menina de quatro anos de idade na região de Sanandaj (oeste), o que fez com que ela ficasse cega", afirmou Mohammad Shahriari, responsável pelos casos criminais da Procuradoria de Teerã, onde o caso foi tratado.

"Hoje, a Lei de Talião foi aplicada na minha presença e na de especialistas", acrescentou, sem dar detalhes sobre como o condenado foi cegado.

Ele informou que este foi o segundo caso de aplicação da lei desde o início de 2016 por uso de ácido ou outros produtos químicos por agressores.

Em 2011, uma jovem iraniana, Ameneh Bahrami, desfigurada e cegada com ácido, perdoou seu agressor e pediu à justiça que não fizesse com que sofresse o mesmo destino.

Vários ataques com ácido contra mulheres foram manchetes nos últimos anos no Irã. Na época, a imprensa apoiou Bahrami, enquanto as autoridades judiciais incitaram a jovem a dispensar a punição ao agressor.

Organizações de direitos humanos denunciam a Lei de Talião (Olho por olho, dente por dente), prevista na sharia (lei islâmica).

Esta última é mais frequentemente aplicada no Irã em casos de assassinato. A família da vítima pode renunciar ao seu pedido e receber dinheiro em troca.

Veja também

Universidades e escolas de Lisboa amanhecem com pichações racistas contra brasileiros
Preconceito

Universidades e escolas de Lisboa amanhecem com pichações racistas contra brasileiros

Trump diz que manterá política migratória em relação ao México
EUA

Trump diz que manterá política migratória em relação ao México