Irã ordena evacuação de seis cidades ameaçadas pelas enchentes

De acordo com o ministro do Interior Abdolreza Rahmani Fazli, 400 mil moradores do Khuzestan estão ameaçados pelas enchentes

Chuva atinge o Irã e causa enchente na província de GolestanChuva atinge o Irã e causa enchente na província de Golestan - Foto: Divulgação Reuters

As autoridades iranianas ordenaram a saída de milhares de habitantes de seis cidades no sudoeste do país no sábado (06) devido ao risco de inundação, depois que as enchentes provocaram 70 mortes, informou a agência de notícias oficial IRNA.

As chuvas torrenciais que caíram recentemente na província de Juzestan provocam o medo de uma inundação iminente do rio Karje, no qual se encontram várias represas que poderiam ceder à pressão e pôr em perigo os habitantes das cidades situadas em suas fronteiras. As autoridades já abriram as comportas da barragem de Karje, uma das mais importantes da região, para evitar uma carga muito pesada.

Leia também
Previsão é de chuvas só pela madrugada e início da manhã
Previsão de chuva isolada para este sábado em Pernambuco


Seis cidades "precisam ser evacuadas o mais rápido possível", disse o governador da província, Gholamreza Shariati, segundo Irna. "Nós aconselhamos que mulheres e crianças sejam retiradas e que jovens adultos fiquem para ajudar", acrescentou, afirmando que a situação é "crítica", já que novas chuvas são esperadas neste sábado.

De acordo com o ministro do Interior Abdolreza Rahmani Fazli, 400 mil moradores do Khuzestan estão ameaçados pelas enchentes.

Há cerca de 20 dias, o Irã, conhecido por sua aridez, sofre chuvas torrenciais. A primeira série de inundações afetou o nordeste do país em 19 de março, e uma segunda série, a oeste e a sudoeste em 25 de março. A partir de 1º de abril, novos transbordamentos estão ocorrendo devido às fortes chuvas no oeste e sudoeste.

Veja também

Vírus ebola pode ser ativado em sobrevivente anos após a infecção, aponta estudo
SAÚDE

Vírus ebola pode ser ativado em sobrevivente anos após a infecção, aponta estudo

Bolívia rejeita relatório 'tendencioso' de Biden criticando sua luta contra as drogas
Drogas

Bolívia rejeita relatório 'tendencioso' de Biden criticando sua luta contra as drogas