A-A+

Itamaraty diz que Suleimani era general; Bolsonaro nega

Bolsonaro afirmou na segunda-feira (6) que Suleimani 'não é general'. Ele não deu maiores detalhes nem explicou de onde havia tirado a informação

Presidente Jair BolsonaroPresidente Jair Bolsonaro - Foto: José Cruz/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro e o Itamaraty não conseguem chegar a um acordo sobre a patente do comandante iraniano Qassim Suleimani, morto por determinação do presidente americano, Donald Trump, na sexta-feira (3).

Bolsonaro afirmou na segunda-feira (6) que Suleimani "não é general". Ele não deu maiores detalhes nem explicou de onde havia tirado a informação.

"Graças a Deus, pelo que parece, a questão lá dos Estados Unidos e Iraque, do general lá que não é general e perdeu a vida (Soleimani), não houve... O impacto não foi grande (no preço do petróleo)", disse Bolsonaro, na saída do Alvorada.

Leia também:
Após apoiar ação dos EUA, Bolsonaro diz que Brasil manterá comércio com Irã
Itamaraty orienta diplomatas brasileiros a não prestar condolências a general
Brasil diz a Irã que nota do Itamaraty não é manifestação contra o país

Já o ministério das Relações Exteriores, em circular telegráfica enviada a diplomatas, chama Suleimani de general.

"Rogo a vossa excelência não comparecer a nenhuma cerimônia em memória do general Qassim Suleimani, ex-comandante da Força Quds iraniana, e de Abu Mahdi al-Muhandas, ex-chefe da milícia Kataib Hizbullah, nem assinar livro de condolências em suas homenagens", diz a circular.

Veja também

ONU teme 'crimes hediondos em massa' em Mianmar
Direitos Humanos

ONU teme 'crimes hediondos em massa' em Mianmar

Nasa prevê lançar em fevereiro de 2022 seu novo programa lunar Artemis
Projeto Artemis

Nasa prevê lançar em fevereiro de 2022 seu novo programa lunar Artemis