Justiça do Equador proíbe Estado de contratar Odebrecht

Está sendo realizada uma investigação por supostos subornos pagos pela empreiteira brasileira no país

Frentes de Trabalho que levam o nome do ex-governador de Pernambuco já superou  1500 postos de trabalho criados. Programa Gera Cidadania vai ofertar atividades para crianças no contraturno escolar, com renda para os oficineirosFrentes de Trabalho que levam o nome do ex-governador de Pernambuco já superou 1500 postos de trabalho criados. Programa Gera Cidadania vai ofertar atividades para crianças no contraturno escolar, com renda para os oficineiros - Foto: Andrea Rego Barros / PCR

A Justiça do Equador proibiu o Estado de contratar "temporariamente" a Odebrecht, enquanto realiza uma investigação por supostos subornos pagos pela empreiteira brasileira no país, informou nesta terça-feira (03) o procurador-geral Galo Chiriboga.

"À pedido da Procuradoria, como um ato urgente, o juiz de Pichincha resolveu que as instituições se abstenham de celebrar contratos com a #Odebrecht", escreveu Chiriboga em sua conta do Twitter.

A empreiteira brasileira é investigada no Equador por suspeita de pagamento de 33,5 milhões de dólares em subornos a funcionários equatorianos.

O procurador acrescentou que "durante a investigação de contratos da Odebrecht no Equador, as instituições estatais não poderão, temporariamente, contratar esta empresa".

Veja também

Colômbia pode impor restrições a quem não se vacinar, alerta ministro
América Latina

Colômbia pode impor restrições a quem não se vacinar, alerta ministro

Com 54% da população totalmente vacinada, Portugal alivia restrições contra a Covid-19
PANDEMIA

Com 54% da população totalmente vacinada, Portugal alivia restrições contra a Covid-19