Justiça sul-coreana rejeita pedido de prisão contra herdeiro da Samsung

Promotores acusam Lee de entregar ou prometer 43 bilhões de wons (36,3 milhões de dólares) em subornos à confidente da presidente

Lee Jae-Yong, herdeiro da SamsungLee Jae-Yong, herdeiro da Samsung - Foto: Ahn Young-Joon/Pool/AFP

Um tribunal de Seul rejeitou nesta quarta-feira (18) - quinta-feira em horário local - um pedido de prisão contra o herdeiro do grupo Samsung, Lee Jae-Yong, com base na investigação do escândalo de corrupção que envolve a presidente sul-coreana, Park Guen-Hye, informou a promotoria.

O tribunal do distrito central de Seul negou o pedido de prisão apresentado pela promotoria contra Lee na segunda-feira, por corrupção, malversação e perjúrio.

Os promotores acusam Lee de entregar ou prometer 43 bilhões de wons (36,3 milhões de dólares) em subornos à confidente de Park, Choi Soon-Sil.

Segundo os promotores, o dinheiro visava obter apoio do governo para a fusão de duas filiais da Samsung, um movimento crucial para a transmissão de poderes no grupo - o maior fabricante de smartphones do mundo e empresa-chave da economia sul-coreana - para Lee.

Para o tribunal, os promotores não apresentaram provas suficientemente sólidas para a prisão de Lee.

Veja também

OPAS pede 'estratégia integral' para conter a Covid-19 nas Américas
Pandemia

OPAS pede 'estratégia integral' para conter a Covid-19 nas Américas

Autoridades dos EUA não descartam hipótese de fuga acidental do vírus Sars-Cov-2 na China
Pandemia

Autoridades dos EUA não descartam hipótese de fuga acidental do vírus Sars-Cov-2 na China