A-A+

Justiça uruguaia investiga quatro pessoas por apreensão recorde de cocaína

Quatro pessoas foram detidas com quase seis toneladas de cocaína

Apreensão de cocaína no UruguaiApreensão de cocaína no Uruguai - Foto: Uruguay's Navy / AFP

A Justiça do Uruguai investiga a partir deste sábado quatro pessoas presas após o confisco do maior estoque de cocaína da história do país, perto de seis toneladas.

O Procurador Especial de Crimes Econômicos, Enrique Rodríguez, iniciou o procedimento para tomar depoimentos e formalizar a acusação de tráfico de drogas contra um empresário, seu filho e dois funcionários pelo carregamento de drogas descobertas em contêineres e em propriedades de sua propriedade.

As autoridades descreveram o confisco realizado entre quinta e sexta-feira como "o maior golpe no narcotráfico na história do país". A Diretoria Aduaneira detectou quatro contêineres com "anomalias de imagem" no porto de Montevidéu na quinta-feira. Em uma operação conjunta da Prefeitura Naval e de tropas da Marinha, foram apreendidos, em dois deles, 4,418 toneladas de cocaína divididas em 4.003 tijolos que estavam escondidos entre um carregamento de farelo de soja.

Leia também:
Uruguai investiga mensagens enviadas do Brasil com ameaças de grupo de extrema-direita
PM prende casal no Sertão que transportava mais de 17 kg de cocaína

O diretor aduaneiro Jaime Borgiani estimou seu preço de venda no mercado europeu em 1 bilhão de dólares. Também nesta sexta-feira, tropas antinarcóticos invadiram a propriedade do empresário que despachou os contêineres em um campo perto de Dolores, a 290 km de Montevidéu, no departamento de Soriano (sudoeste). Lá, eles confiscaram mais de 1,4 toneladas de cocaína espalhadas por cerca de 1.300 tijolos e prenderam duas pessoas.

O empresário fugitivo e seu filho se renderam à polícia de Montevidéu. O destino da cocaína era o porto africano de Lomé, capital do Togo, informaram a Marinha e a Alfândega, com paradas nas Ilhas Canárias. Enrique Moller, advogado do empresário preso, Luis Murialdo, garantiu à mídia local que seu cliente planejava exportar soja para a África do Sul. Ele enfatizou que o proprietário "não sabe como a droga chegou à sua propriedade".

Por ora, a origem da droga ainda não é conhecida, embora as autoridades acreditem que ela teria chegado de avião - o campo do empresário tinha uma pista de pouso improvisada - ou pelo rio.

Veja também

Saúde emite alerta de risco sobre variante do coronavírus identificada na África do Sul
Ministério

Saúde emite alerta de risco sobre variante do coronavírus identificada na África do Sul

Covid-19: Fiocruz alerta sobre cuidados com nova onda na Europa
Variante

Covid-19: Fiocruz alerta sobre cuidados com nova onda na Europa