Kremlin nega com veemência ação de hackers russos nas eleições americanas

Segundo a imprensa americana, hackers do serviço de inteligencia militar russo tentaram invadir os sistemas eleitorais dos Estados Unidos

Kremlin Kremlin  - Foto: Reprodução/ Wikipédia

O Kremlin desmentiu de forma categórica nesta terça-feira (6) a informação da imprensa americana de que, segundo um documento secreto da NSA, hackers do serviço de inteligencia militar russo tentaram invadir os sistemas eleitorais dos Estados Unidos antes da votação presidencial de 2016.

"Estas afirmações não correspondem à a realidade", afirmou o porta-voz do Kremlin, Dimitri Peskov.

"Desmentimos de maneira veemente qualquer possibilidade de que isto possa ter acontecido", completou.

"Não ouvimos nenhum argumento que confirme a autenticidade das informações", insistiu Peskov.

O site de notícias The Intercept, com base em um documento secreto da NSA, afirmou na segunda-feira que hackers da inteligência russa tentaram diversas vezes entrar nos sistemas eleitorais americanos antes da votação presidencial.

De acordo com o documento de 5 de maio da Agência Nacional de Segurança (NSA) dos Estados Unidos, consultado pelo site, as ações dos hackers atacaram durante vários meses empresas privadas que ofereciam serviços de inscrição eleitorais às autoridades locais. As tentativas prosseguiram até quase o dia da eleição, 8 de novembro.

Veja também

Em pacote de medidas sobre o clima, Biden mira indústria de gás e petróleo
EUA

Em pacote de medidas sobre o clima, Biden mira indústria de gás e petróleo

Covid-19: OMS aponta presença da variante de Manaus do coronavírus em oito países
Coronavírus

Covid-19: OMS aponta presença da variante de Manaus do coronavírus em oito países