RELATÓRIO

Liberdade religiosa em risco no mundo

Em 14 países, ou um terço das nações onde há problemas, "a situação piorou sensivelmente desde 2014"

Carlos MarunCarlos Marun - Foto: Wikipedia

 

A organização católica Ajuda à Igreja Necessitada (AIN) denunciou uma deterioração da liberdade religiosa no mundo entre 2014 e 2016, principalmente em 38 países, onde registrou graves discriminações ou perseguições. Esta fundação internacional de direito pontifical, que analisou a situação de 196 países entre junho de 2014 e junho de 2016, aponta em um relatório a existência de perseguição religiosa grave em 24 países, e discriminação em outros 14, incluindo Irã e Ucrânia.

Foi mantido o status quo em 21 dos 38 países que geram maior preocupação, e uma melhora em três: Butão, Egito e Catar. Em sete países (Afeganistão, Iraque, Nigéria, Coreia do Norte, Arábia Saudita, Somália e Síria), a situação "já era tão ruim que, dificilmente, poderia piorar". Em 14 países, ou um terço das nações onde há problemas, "a situação piorou sensivelmente desde 2014", segundo a AIN.

Este é o caso de Bangladesh, país de maioria muçulmana onde "os grupos religiosos minoritários são alvos, com 48 assassinatos em 18 meses" e na Argélia, onde "houve prisões de pessoas que não respeitam o ramadã", mês de jejum muçulmano.

 

Veja também

A 9 dias da eleição nos EUA, número de votos antecipados em 2020 ultrapassa os de 2016
EUA

A 9 dias da eleição nos EUA, número de votos antecipados em 2020 ultrapassa os de 2016

Festa nas ruas do Chile após aprovação de nova Constituição em plebiscito
América Latina

Festa nas ruas do Chile após aprovação de nova Constituição em plebiscito