Libertada alemã sequestrada na Síria com seu bebê

Janina Findensein é uma jornalista 'freelance' desaparecida em outubro de 2015

Gustavo Pardal é uma das atrações do Terça do RisoGustavo Pardal é uma das atrações do Terça do Riso - Foto: Divulgação

Uma alemã sequestrada no fim de 2015 na Síria e seu bebê, nascido no período que passou em cativeiro, foram libertados na quarta-feira (29), informou o governo da Alemanha. "Foram libertados na quarta-feira e entraram na Turquia", disse à AFP uma porta-voz do ministério alemão das Relações Exteriores.

"A alemã e seu bebê nascido durante o cativeiro estão bem e sob a proteção de agentes do consulado e da polícia criminal alemã na Turquia", completou a fonte, sem revelar detalhes. De acordo com a revista alemã Focus, a vítima é Janina Findensein, jornalista 'freelance' desaparecida em outubro de 2015, que deu à luz em dezembro.

Os sequestradores pediram um resgate de 5 milhões de euros, de acordo com a revista, mas a quantia não foi confirmada. O grupo extremista Frente Fateh Al-Sham, citado pela organização Site, que monitora sites jihadistas, afirmou ter libertado a alemã.

A Fateh al-Sham, que alega não estar na origem do sequestro, explicou que "atacou o grupo (que mantinha a mulher sequestrada) e libertou a jornalista e seu bebê", de acordo com o comunicado citado pelo Site. A Fateh al-Sham afirma ter libertado a mulher "em aplicação ao julgamento de Alá", sugerindo que estava injustamente detida.

Veja também

Brasil veta plano do Mercosul por incluir expressão 'crimes de ódio' contra pessoas LGBT
mercosul

Brasil veta plano do Mercosul por incluir expressão 'crimes de ódio' contra pessoas LGBT

Usar máscara poderia evitar 130.000 mortes nos EUA, aponta estudo
Coronavírus

Usar máscara poderia evitar 130.000 mortes nos EUA, aponta estudo