Líder do Estado Islâmico conclama seguidores a resistirem em Mossul

Batalha pela reconquista de Mossul, onde o EI executou dezenas de pessoas, começou em 17 de outubro

Abu Bakr al Baghdadi, líder do Estado IslâmicoAbu Bakr al Baghdadi, líder do Estado Islâmico - Foto: AFP

O líder da facção radical Estado Islâmico, Abu Bakr al-Baghdadi, divulgou nesta quinta-feira (3) uma mensagem exortando seus seguidores a resistir à investida das forças iraquianas em Mossul, maior cidade sob domínio dos jihadistas no Iraque.

"Não se retirem", diz uma voz apresentada como sendo a do líder extremista, em uma mensagem de áudio divulgada nesta pela Al-Furqan Media, braço de mídia do EI.

"Manter-se firme com honra é mil vezes mais fácil do que se retirar com vergonha", declarou, em sua primeira mensagem em mais de um ano.

Não fica claro quando a gravação foi produzida.

"A todo o povo de Nínive, especialmente os combatentes, eu lhes digo que tenham cuidado com suas fraquezas na hora de enfrentar o inimigo", completou al-Baghdadi, referindo-se à província que tem Mossul como capital.

Não se sabe o paradeiro do líder do EI, e há informações contraditórias sobre sua saúde e seus movimentos.

A batalha pela reconquista de Mossul, onde o EI executou dezenas de pessoas, começou em 17 de outubro. As tropas iraquianas contam com suporte aéreo e terrestre da coalizão liderada pelos Estados Unidos. Mesmo antes de a guerra entrar na cidade, muitos civis estão deixando a região. Mas esse fluxo de civis deve aumentar muito, segundo a ONU.

Nesta quarta-feira (2), os soldados chegaram nos limites de Hammam al-Alil, cidade conhecida pelas suas águas termais, localizada a 15 km ao sul de Mossul, a maior localidade iraquiana nas mãos do EI. Uma unidade de elite do exército iraquiano está se aproximando de Mossul pelos limites leste da cidade.

Veja também

Ao menos sete mortos e dezenas de feridos por explosão em escola religiosa no Paquistão
Mundo

Ao menos sete mortos e dezenas de feridos por explosão em escola religiosa no Paquistão

Turismo mundial caiu 70% entre janeiro e agosto pela Covid-19, diz OMT
Coronavírus

Turismo mundial caiu 70% entre janeiro e agosto pela Covid-19, diz OMT