Londres apresenta projeto para revogar leis europeias

O texto, que só deve ser votado dentro de alguns meses, deve provocar debates parlamentares intensos

Londres, na InglaterraLondres, na Inglaterra - Foto: Daniel Leal-Olivas/AFP

O governo conservador britânico apresentará nesta quinta-feira (13) o projeto para revogar todas as leis europeias em vigor no Reino Unido, o que já provocou críticas da oposição.

O texto do governo, conhecido como Lei de Revogação (Repeal Bill), pretende derrubar a Lei de Comunidades Europeias de 1972, que dava prioridade aos tratados europeus, e converterá de fato as leis europeias em leis britânicas, para que não aconteça um salto ao vazio na saída da UE e para dar tempo aos ministros e ao Parlamento para eliminar ou conservar as leis.

"Isto nos permitirá abandonar a União Europeia com o máximo de certezas, continuidade e controle", destacou em um comunicado o ministro para o Brexit, David Davis.

A Lei de Revogação constitui "um dos textos legislativos mais importantes" da história e "uma etapa maior no processo de saída da União Europeia", insistiu.

O texto, que só deve ser votado dentro de alguns meses, deve provocar debates parlamentares intensos, o que vai expor a divisão, inclusive dentro de cada partido, que o Brexit ainda gera.

Tudo isto em um Parlamento no qual os conservadores não contam mais com maioria absoluta, o que significa que basta uma pequena revolta interna para abalar os planos do governo.

A oposição trabalhista já advertiu que não votará o texto e exige do governo garantias de que não aproveitará a oportunidade para revogar, por exemplo, as proteções dos trabalhadores incluídas no direito europeu.

Com a lei, os ministros poderão, sem precisar da permissão do Parlamento, revogar algumas leis com o argumento de que é necessário acelerar a transição.

"Temos grandes problemas com a posição do governo (no Brexit) e, a menos que o governo nos atenda, não apoiaremos o projeto de lei", disse ao jornal The Guardian o porta-voz trabalhista para a saída da UE, Keir Starmer.

Os trabalhistas também advertem que não tolerarão o abuso do que é conhecido como "Poderes de Henrique VIII", o dispositivo já mencionado que permitiria ao governo modificar leis sem contar com o Parlamento.

Veja também

Variante britânica do coronavírus aponta para maior mortalidade, diz Boris Johnson
Coronavírus

Variante britânica do coronavírus aponta para maior mortalidade, diz Boris Johnson

Semelhança entre figurino de Kamala Harris e Lisa da série 'Os Simpsons' chama a atenção
Televisão

Semelhança entre figurino de Kamala Harris e Lisa da série 'Os Simpsons' chama a atenção