Madri faz hoje Marcha pelo Clima; ativista Greta Thunberg participa

Segundo os organizadores da manifestação, deverão participar "mais de 100 mil" pessoas de todo o mundo

Ativista sueca Greta Thunberg Ativista sueca Greta Thunberg  - Foto: Don Mackinnon / AFP

Uma Marcha pelo Clima será realizada nesta sexta-feira (6)em Madri, paralelamente à Conferência das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas (COP25). São esperadas milhares de pessoas e a presença da jovem ambientalista Greta Thunberg,

Segundo os organizadores da manifestação, deverão participar "mais de 100 mil" pessoas de todo o mundo para "desmascarar a hipocrisia" dos governos que, há 25 anos, se reúnem sem sucesso para discutir as alterações climáticas.

Leia também:
Painel da ONU atribui a mudanças climáticas redução na camada de neve
Às vésperas de conferência do clima da ONU, Bolsonaro publica pacote ambiental
Mudanças climáticas já prejudicam saúde das crianças, diz relatório

“O mundo acordou para a urgência climática” e “os discursos não chegam”. Esses são motes da manifestação, que pretende pressionar os países signatários do Acordo de Paris a agir contra o aquecimento global.

Greta Thunberg estará à frente da manifestação. A ativista ambiental chegou na manhã desta sexta-feira a Madri, depois de viajar de comboio entre Lisboa e a capital espanhola. À chegada, demorou a sair do comboio, assustada com o batalhão de jornalistas que a esperava. Teve de ser rodeada pela polícia para deixar o local.

Em um manifesto, as associações organizadoras enviaram uma mensagem clara à COP25. “Voltamos à rua para exigir medidas reais e ambiciosas aos políticos do mundo inteiro reunidos na COP” e para que eles reconheçam “que a ambição insuficiente dos seus acordos vai colocar o planeta num cenário desastroso de aquecimento global”.

A Marcha pelo Clima e uma cimeira social que começa neste sábado (7) vão dominar a agenda paralela à 25.ª Conferência das Partes (COP25) da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas, que começou em 02 de dezembro e vai até 13 de dezembro na capital espanhola.

Outra marcha está prevista para a mesma hora em Santiago, no Chile, onde a cúpula deveria ter decorrido. O encontro foi transferido de última hora, em 1º de novembro, para Madri, depois de o Chile ter anunciado que renunciava à sua organização, devido à contestação social sem precedentes no país.

A manifestação começa às 18h em Atocha, perto do centro de Madrid, e depois de percorrer parte de A Castelhana, a maior e mais importante avenida da capital espanhola, termina na zona dos Novos Ministérios.

“Sabemos que a manifestação será massiva. Esperamos milhares de pessoas na rua a reclamar ações urgentes”, assegurou Pablo Chamorro, porta-voz da organização.

Veja também

América Latina registrará aumento nas exportações em 2021, afirma CepalEconomia Latina

América Latina registrará aumento nas exportações em 2021, afirma Cepal

É 'quase certo' que ômicron não é mais grave que deltaÔmicron

É 'quase certo' que ômicron não é mais grave que delta