Maduro prepara manifestações a seu favor contra ações internacionais

Protestos ocorrem após o fechamento da fronteira com o Brasil

Nicolas MaduroNicolas Maduro - Foto: Reprodução Instagram

Na tentativa de fazer frente à ação internacional para ajuda humanitária aos venezuelanos, organizada para este sábado (23), o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, conclamou seus simpatizantes para manifestações em todas as cidades do país. Denominada por ele como “mobilizações”, os protestos ocorrem após o fechamento da fronteira com o Brasil.

"Aqui em Caracas terá uma grande mobilização popular, as pessoas na rua estarão defendendo o direito à paz, à soberania e à união entre os povos colombiano e venezuelano", disse Maduro.

Segundo o presidente, as mobilizações foram batizadas de “Marcha pela Dignidade”. Ele alega que há uma orquestração internacional, liderada pelos Estados Unidos e aliados, para desestabilizar seu governo e promover um golpe.

Leia também:
Deputados venezuelanos relatam esquema militar na fronteira com Brasil
Trump pede às Forças Armadas da Venezuela que deixe de apoiar Maduro
Venezuelanos deixam Roraima e seguem para oito cidades no Brasil
 
O venezuelano afirmou ainda que haverá postos de saúde móveis instalados em vários locais das cidades, no sábado, para atendimento à população. Nas páginas oficiais do governo, são estampadas fotografias de doações da Rússia de medicamentos e alimentos. Para o presidente, o país é alvo de um “bloqueio econômico” que prejudica sobretudo a população.
As principais críticas de Maduro são feitas ao presidente da Colômbia, Iván Duque. O colombiano coordena na segunda-feira (25) reunião do Grupo de Lima, da qual participarão o vice-presidente brasileiro, Hamilton Mourão, e o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo.

 

Veja também

Como 46º presidente dos Estados Unidos, Joe Biden entra caminhando na Casa Branca
EUA

Como 46º presidente dos Estados Unidos, Joe Biden entra caminhando na Casa Branca

Cuba espera produzir 100 milhões de doses de sua vacina contra a covid-19 em 2021
Vacina

Cuba espera produzir 100 milhões de doses de sua vacina contra a covid-19 em 2021