Maior hospital do leste de Aleppo destruído por bombardeios

Ataque deixou três mortos entre os funcionários do centro médico; não se sabe se bombas vieram do regime ou da Rússia

Altas expectativas Altas expectativas  - Foto: Dilvulgação

Vários bombardeios destruíram nesta segunda-feira (3) o maior hospital da parte rebelde da cidade de Aleppo, norte da Síria, que sofre uma intensa ofensiva por parte do governo sírio e de seu aliado russo, informou o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH).

"O hospital M10, o maior do leste de Aleppo, foi destruído e está fora de funcionamento de forma permanente", tuitou, por sua vez, Adham Sahlul, da SAMS (Syrian American Medical Society), uma ONG médica que dá apoio ao hospital. "O hospital não está operacional. Segundo funcionários e médicos, não pode ser reparado", afirma um comunicado de imprensa. "Tememos que o prédio desabe sobre o andar subterrâneo. Tememos pelo pessoal", acrescenta.

Segundo a SAMS, o bombardeio deixou três mortos entre os funcionários do centro médico. O OSDH informou, por sua vez, da morte de dois empregados e que o terceiro se encontra sob escombros. O M10 foi alvo de vários ataques aéreos, principalmente no sábado. O OSDH não identificou se foram ataques de aviões do regime ou de seu aliado russo.

Veja também

Bolsa se recupera e fecha no maior nível em quatro meses
BOLSA DE VALORES

Bolsa se recupera e fecha no maior nível em quatro meses

Médicos franceses relatam transmissão de coronavírus dentro do útero
Coronavírus

Médicos franceses relatam transmissão de coronavírus dentro do útero