Mais de 40 detidos por provocar incêndios no Chile

Suspeitos foi detida nas regiões de O’Higgins, Maule e Biobío

Incêndio atinge uma das áreas mais visitadas no ChiileIncêndio atinge uma das áreas mais visitadas no Chiile - Foto: SEBASTIÁN CISTERNAS / ATON CHILE / AFP

 

Um total de 43 pessoas foram detidas até o último domingo (29) suspeitas de terem provocado alguns dos gigantescos incêndios florestais no Chile, que deixaram 11 mortos e destruíram 400 mil hectares, informou a presidente Michelle Bachelet. A polícia prendeu 43 pessoas “por sua eventual responsabilidade nos incêndios florestais” que há quase duas semanas afetam sete regiões do Centro e Sul do Chile, informou Bachelet durante balanço da tragédia.

A maioria dos suspeitos foi detida nas regiões de O’Higgins, Maule e Biobío, as mais atingidas pelo incêndio, onde a Procuradoria já apresentou acusações por provocarem incêndios. As penas para este crime chegam a 20 anos de prisão. “Estamos seguros de que se houve intencionalidade em alguns dos focos, vamos continuar investigando até o final”, afirmou Bachelet.

Os incêndios colocaram em risco a flora e fauna silvestre das regiões afetadas e os especialistas temem um dano considerável. “Minha mensagem é uma só: não vamos cruzar os braços diante desta tragédia”, conclui Bachelet.

 

Veja também

Por margem apertada, Senado dos EUA mantém processo de impeachment de Trump
EUA

Senado mantém processo de impeachment de Trump

Mundo ultrapassa a marca de 100 milhões de casos por Covid-19
Coronavírus

Mundo ultrapassa a marca de 100 milhões de casos por Covid-19