Mais de 750 mil iraquianos vivem 'risco extremo' na ofensiva em Mossul

EI continua controlando a parte ocidental da cidade do norte do país

Batalha por Mossul tem deixado sequelasBatalha por Mossul tem deixado sequelas - Foto: Ahmad Al-Rubaye/AFP

Cerca de 750.0000 civis que vivem no oeste de Mossul enfrentam um "risco extremo" ante a próxima ofensiva das forças iraquianas para reconquistar a segunda cidade do Iraque das mãos do grupo Estado Islâmico (EI).

"Esperamos que se faça tudo para proteger as milhares de pessoas da margem oeste do rio Tigre", declarou Lise Grande, coordenadora humanitária da ONU para o Iraque, em um comunicado.

Grande disse, no entanto, que a ONU se sente aliviada pelo fato de vários habitantes do leste de Mossul, parte da cidade que foi quase totalmente reconquistada pelas forças iraquianas, terem conseguido permanecer em segurança em suas casas.

O EI continua controlando a parte ocidental da cidade do norte do país, que era habitada por dois milhões de pessoas antes da chegada, em 2014, do grupo radical, que a transformou em seu reduto no Iraque.

Veja também

Grávida, Meghan Markle não acompanhará Harry ao funeral do príncipe Philip
Realeza

Grávida, Meghan Markle não acompanhará Harry ao funeral do príncipe Philip

Ao menos 7 mortos em terremoto na Indonésia
Ásia

Ao menos 7 mortos em terremoto na Indonésia