Milhares vão às ruas contra Trump

No dia do presidente, ao invés de comemorarem, os americanos foram às ruas pedir a saída do chefe de estado

'Não é meu presidente', repetiam milhares em protesto contra Trump em Nova York'Não é meu presidente', repetiam milhares em protesto contra Trump em Nova York - Foto: 'Não é meu presidente'

 

Aos gritos de "não é meu presidente" e ao ritmo de canções patrióticas e de protesto, 10 mil pessoas protestaram em Nova York contra Donald Trump na última segunda-feira (21), feriado em que os americanos comemoraram o "dia do presidente".
Manifestantes de todas as idades se concentraram na Columbus Circle, em frente ao Trump International Hotel e ao lado do Central Park, para expressar sua insatisfação com o novo governo em mais uma manifestação que sacode o país desde que Trump chegou à Casa Branca, há um mês.
Depoimento como da psicoterapeuta Rima Strauss, 70 anos, que vive entre Nova York e Washington DC. se juntou a milhares de vozes nos Estados Unidos, mas também em Londres. "Trump está destruindo o país. Se não fizermos algo, perderemos os Estados Unidos antes de percebermos. Por isso, nos últimos quatro dias fui a quatro protestos. O que mais posso fazer? É a única maneira de tentar chegar ao Congresso", disse a aposentada.
Protestos semelhantes aconteceram em outras cidades como Los Angeles, Chicago, Atlanta, Filadélfia e Washington DC. "Trump não nos escuta. Mas se as pessoas comuns protestarem nas ruas, talvez tenhamos sorte de (acontecer) uma revolução", assinalou Strauss.
Strauss, que usava um broche com o presidente russo Vladimir Putin segurando um bebê Trump com fraldas, e que também participou da Marcha das Mulheres, em 21 de janeiro, um dia após a posse de Trump, disse que o protesto era para preservar sua "saúde mental". "Muitos de nós estão deprimidos", confessou.
Londres
Na capital britânica, milhares de manifestantes se reuniram ontem à noite em frente ao Parlamento britânico para protestar contra a visita de Estado do presidente americano, Donald Trump.
Grupos de manifestantes que levavam cartazes com frases como "Resistamos a Trump", entoavam em coro "Trump é bem-vindo para uma visita de Estado? Não!". Outros cartazes, mais contundentes, diziam: "Unidos contra o demônio e os idiotas".
Mais de 1,8 milhão de pessoas assinaram uma petição on-line para que a viagem de Trump não fosse uma visita de Estado, com o objetivo de evitar que a rainha passe a "vergonha" de ter que se reunir com ele, como manda o protocolo.
O protesto foi organizado pela "Stop Trump Coalition" ("Coalizão Parem o Trump") e a organização "One Day Without Us" ("Um dia sem a gente"), que luta pela solidariedade com os migrantes no Reino Unido.
Esta é a terceira manifestação em três semanas em Londres contra a visita planejada do presidente americano. A primeira, em 30 de janeiro, reuniu dezenas de milhares de manifestantes, e a segunda, no início de fevereiro, contou com 10 mil pessoas.

 

Veja também

Variante britânica do coronavírus aponta para maior mortalidade, diz Boris Johnson
Coronavírus

Variante britânica do coronavírus aponta para maior mortalidade, diz Boris Johnson

Semelhança entre figurino de Kamala Harris e Lisa da série 'Os Simpsons' chama a atenção
Televisão

Semelhança entre figurino de Kamala Harris e Lisa da série 'Os Simpsons' chama a atenção