Ministro alemão do Interior renuncia em meio à crise política

Horst Seehofer também pretende deixar a presidência do partido, membro da frágil coalizão de governo alemã, que inclui o partido de centro direita CDU, de Merkel, e os socialdemocratas (SPD)

Horst Seehofer renunciouHorst Seehofer renunciou - Foto: Christof Stache/AFP

Em conflito com a chanceler alemã, Angela Merkel, sobre a política migratória, o ministro do Interior, Horst Seehofer, decidiu renunciar ao cargo - disseram à AFP fontes ligadas a seu partido bávaro, a CSU, neste domingo (1º).

Seehofer anunciou sua decisão em uma reunião da CSU a portas fechadas, em Munique (sul), que continuava neste domingo à noite. Ele também pretende deixar a presidência do partido, membro da frágil coalizão de governo alemã, que inclui o partido de centro direita CDU, de Merkel, e os socialdemocratas (SPD), acrescentaram as mesmas fontes.

Horst Seehofer "quer renunciar a seu cargo de ministro e de presidente do partido", porque considera que "não tem o apoio" necessário, indicou uma dessas fontes, sem conseguir dizer ainda o que essa decisão implica para o futuro do governo alemão. Alguns de seus correligionários ainda tentam demovê-lo da decisão, antes que Seehofer fale com a imprensa esta noite.

Leia também:
Merkel faz propostas para reforçar controle de migrantes
Debate sobre imigração causa racha em coalizão de Merkel


A questão agora é saber se o partido do ministro abandonará, ou não, a coalizão de governo na Alemanha, o que privaria a chanceler da maioria de deputados, afundando o país em uma grande crise política. Há várias semanas, a CSU pressiona Merkel a aceitar seu plano de rejeitar na fronteira os solicitantes de asilo que já tenham sido registrados em outros países, ou para que alcance acordos europeus que tenham o mesmo efeito.

Neste domingo, completa-se a data-limite imposta pela CSU. Angela Merkel se opõe às rejeições na fronteira, considerando que poderia criar "um efeito dominó" na Europa.

A chefe do governo alemão obteve, neste domingo à noite, em Berlim, o apoio quase unânime das instâncias dirigentes de seu partido. Em uma moção, a cúpula rejeitou qualquer decisão "unilateral" nacional para rechaçar os imigrantes e apoiou os esforços da chanceler para negociar soluções europeias sobre a política de asilo.

Veja também

Grécia suspende obrigação de usar máscaras ao ar livre
Pandemia

Grécia suspende obrigação de usar máscaras ao ar livre

Papa Francisco recebe Homem-Aranha no Vaticano
Herói

Papa Francisco recebe Homem-Aranha no Vaticano