Nova York suspende utilização do toque de recolher

Medida foi tomada como tentativa de enfraquecer manifestações em homenagem a George Floyd e contra o racismo

Menino protesta em Atlanta, nos EUAMenino protesta em Atlanta, nos EUA - Foto: Elijah Nouvelage / Getty Images North America

O prefeito de Nova York, Bill de Blasio, suspendeu neste domingo (7) o toque de recolher que vigorou por quase uma semana, enquanto protestos antirracistas tomavam as ruas da cidade e de várias outras nos Estados Unidos. "Ontem e na noite passada vimos o melhor da nossa cidade", tuitou de Blasio e anunciou que o fim do toque de recolher de "efeito imediato".

A medida, que vigorava das 20h às 5h, foi tomada na cidade pela primeira vez em 75 anos e cessou um dia antes do início da reabertura econômica gradual após mais de dois meses de confinamento contra o coronavírus.

Nesta semana, Nova York entrará na fase um do plano de reativação da economia do estado, paralisada por medidas contra o coronavírus que matou mais de 21 mil em sua cidade mais populosa. A primeira etapa da reabertura permitirá a retomada das atividades nos setores de manufatura e construção. Os comércios terão acesso restrito.

O controverso toque de recolher foi prorrogado em 2 de junho e começava 20 minutos antes do pôr do sol, depois que várias lojas sofisticadas de Manhattan foram saqueadas em meio a protestos maciços contra a brutalidade policial.

O segundo fim de semana de manifestações, desencadeadas pela morte de um homem negro desarmado pelas mãos da polícia em Minneapolis, provocou marchas massivas, em grande parte pacíficas.

Muitos manifestantes desafiaram o toque de recolher em Nova York, sábado (6), mas foram ignorados pela polícia, que respondeu agressivamente nas noites anteriores contra aqueles que o violaram. Na semana passada, rede sociais mostraram imagens de policiais prendendo manifestantes, bloqueando-os e até atingindo-os com seus bastões.

Leia também:
'Você mudou o mundo', diz ativista durante homenagem a Floyd nos EUA
George Floyd morreu pela "pandemia do racismo e da discriminação", diz advogado
Onda de protesto pela morte de George Floyd se espalha pelo mundo


Além de protestar contra o racismo, os manifestantes em Nova York exigiam mudar as leis que protegem os antecedentes dos policiais e reduzir o orçamento anual de US $ 6 bilhões destinados à força de segurança.

Veja também

Viúva do presidente assassinado do Haiti acusa seguranças por crime
Internacional

Viúva do presidente assassinado do Haiti acusa seguranças por crime

Biden afirma que novas restrições serão impostas nos EUA em função da Covid-19
VARIANTE DELTA

Biden afirma que novas restrições serão impostas nos EUA em função da Covid-19