O ‘reencontro’ de Fidel com Che

Cinzas do líder cubano passaram a noite no mausoléu de Ernesto Che Guevara, na cidade de Santa Clara

Projeto é do vereador Eriberto Rafael (PTC)Projeto é do vereador Eriberto Rafael (PTC) - Foto: Anderson Barros/Imprensa Câmara do Recife

 

Milhares de pessoas acompanharam o trajeto do cortejo com as cinzas de Fidel Castro, ontem, após simbólica noite passada no mausoléu de Ernesto Che Guevara, em Santa Clara. A cidade foi o local on­de Fidel e Che se viram pela última vez, em 1966, antes de o argentino ser executado na Bolívia um ano depois.
Fidel Castro conheceu Ernesto Che Guevara no México em 1955 por intermédio do atual presidente Raúl Castro. Quando já estavam a caminho da vitória da Revolução em 1959, o argentino conquistou a cidade de Santa Clara em dezembro de 1958, depois de uma dura batalha. Poucas horas depois, Fulgencio Batista deixava o governo e fugia da ilha. Trinta anos depois de sua morte na Bolívia, em 1967, o icônico “Che” foi enterrado com honras em uma cerimônia em Santa Clara liderada por Fidel Castro.

A relação entre Castro e Guevara foi tão próxima que Castro chegou a admitir que sonhava com ele anos depois de sua morte. “O tempo passa e às vezes você sonha com o companheiro que morreu, e o vê vivo, e conversa com ele”, disse em uma entrevista com Ignacio Ramonet, publicada no livro ‘Fidel Castro: biografia a duas vozes’.
Secundino Diaz, 87 anos, comerciante aposentado, disse que não podia acreditar no “reencontro” de Che e Fidel. “É muito simbólico que seus restos descansem aqui”, disse. “Poucos como eles dois viveram como quiseram”.
As cinzas de Fidel serão depositadas domingo no cemitério de Santa Ifigenia, em Santiago de Cuba, onde descansam os restos do também mítico José Martí, herói da independência cubana.

 

Veja também

Brasileira está entre as vítimas de atentado na França, informa Itamaraty
internacional

Brasileira está entre as vítimas de atentado na França

Glenn Greenwald acusa Intercept de censura e anuncia saída do site
censura

Glenn Greenwald acusa Intercept de censura e anuncia saída do site