ONU implora pelo acesso de ajuda humanitária no leste de Aleppo

As últimas rações entregues pelo Programa Mundial de Alimentos terminaram em 13 de novembro

TRE-PE divulga balanço das Eleições 2018TRE-PE divulga balanço das Eleições 2018 - Foto: Divulgação

A ONU pediu, nesta segunda-feira (28), o fim dos bombardeios contra civis no leste de Aleppo e que se permita a entrada de ajuda humanitária nessa parte da sitiada cidade síria.

O porta-voz da ONU, Stéphane Dujarric, lembrou que o setor rebelde de Aleppo não recebe qualquer ajuda desde o início de julho e que as provisões estão perto de acabar.

As últimas rações entregues pelo Programa Mundial de Alimentos terminaram em 13 de novembro, e as reservas de outras agências humanitárias "diminuem, o que deixa o leste de Aleppo sem alimentos", completou.

As Nações Unidas estão "extremamente preocupadas" com os 275 mil civis presos nessa região, que vivem "em condições terríveis".

"Pedimos encarecidamente a todos os beligerantes que cessem seus bombardeios cegos, que protejam os civis e as infraestruturas civis, e que permitam o ingresso de ajuda humanitária urgente como exige o Direito Internacional Humanitário", declarou.

A ONU está pronta para socorrer, de todas as maneiras possíveis, os milhares de civis que fogem da cidade, acrescentou o porta-voz.

Os rebeldes perderam um terço do leste de Aleppo, recuperado pelas forças do governo, que esperam derrubar rapidamente o principal bastião da oposição.

Em meio a bombardeios devastadores e a conflitos nas ruas, milhares de civis continuam fugindo para zonas mais seguras, depois de terem resistido ao cerco imposto por Damasco por quatro meses.

Veja também

Disney corta 28.000 empregos nos EUA por causa da pandemia
EUA

Disney corta 28.000 empregos nos EUA por causa da pandemia

Cuba e Venezuela denunciam na Opas sanções "ilegais" dos Estados Unidos em meio à pandemia
Mundo

Cuba e Venezuela denunciam na Opas sanções "ilegais" dos Estados Unidos em meio à pandemia