Oposição quer prisão para guerrilheiros

“Os privilégios ao partido da Farc e a elegibilidade de responsáveis por delitos atrozes” é outra das preocupações levantadas por Uribe

Presidente Michel Temer cumpre agenda em Floresta e na Serra TalhadaPresidente Michel Temer cumpre agenda em Floresta e na Serra Talhada - Foto: Alan Santos/PR

 

O ex-presidente da Colômbia Álvaro Uribe insistiu ontem que membros das Farc responsáveis por “delitos atrozes” devem pagar penas de “reclusão” entre 5 e 8 anos, depois que o acordo de paz entre governo e guerrilha foi rejeitado nas urnas.

Ao publicar suas preocupações e propostas sobre o acordo de paz, Uribe, o grande vencedor do referendo no qual há uma semana os colombianos disseram “Não” ao pacto com as Farc, disse que “a impunidade total aos maiores responsáveis por delitos atrozes” se transformará em “um mal exemplo” e gerador de “novas violências”.

Por isso, em um documento publicado no Twitter e entitulado “Votamos Não, seguimos pela paz. Urgência e Paciência”, o ex-presidente e atual senador diz que os guerrilheiros devem responder por seus crimes com “reclusão efetiva, pena privativa de liberdade, entre 5 e 8 anos, mesmo que seja em locais alternativos, granjas agrícolas”. “Os privilégios ao partido da Farc e a elegibilidade de responsáveis por delitos atrozes” é outra das preocupações levantadas por Uribe.

Nobel
O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, ganhador do Nobel da Paz, anunciou ontem que doará o prêmio monetário para reparar as vítimas do conflito armado interno de mais de meio século. “Quero anunciar a vocês que me reuni com minha família e tomamos a decisão de doar esses oito milhões de coroas suecas (925.000 dólares) para que as vítimas possam ser reparadas”, disse Santos após uma cerimônia religiosa com afetados pelo conflito armado em Bojayá (Noroeste da Colômbia).

 

Veja também

Astronauta estadunidense vota do espaço
Eleições EUA

Astronauta estadunidense vota do espaço

Para estimular ida às urnas, revista Time substitui logotipo pela 1º vez
internacional

Para estimular ida às urnas, revista Time substitui logotipo pela 1º vez