'Organização Mundial do Comércio é uma catástrofe', diz Trump

Crítico dos déficits comerciais dos EUA, Trump tem endurecido a política comercial americana

Donald Trump, presidente dos EUADonald Trump, presidente dos EUA - Foto: Mandel Ngan/AFP

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, chamou nesta segunda-feira (26) a Organização Mundial do Comércio (OMC) de "catástrofe" e voltou a defender uma política comercial internacional "justa e recíproca" para o país, no melhor estilo do bordão "América em primeiro lugar".

"Organização Mundial do Comércio: uma catástrofe", afirmou Trump, durante reunião com governadores. "Ela faz com que seja quase impossível para nós fazermos bons negócios. Nós perdemos casos, não temos juízes... É muito ruim", disse.

Responsável por regular o sistema de comércio multilateral, a OMC estabelece regras comuns para seus membros e arbitra casos controversos. Atualmente, é presidida pelo brasileiro Roberto Azevêdo. Crítico dos déficits comerciais dos EUA, que relaciona à perda de indústrias e empregos no país, Trump tem endurecido a política comercial americana. Ele defende a redução do déficit dos EUA com países como a China e o México, a quem atribui a perda de "bilhões de dólares por ano", e já começou a revisar acordos como o Nafta -o que tem deixado parceiros comerciais sob tensão.

Leia também:
OMC vê com bons olhos o processo de reformas no Brasil, diz Azevêdo
Trump insiste em armar professores para impedir tiroteios em escolas


Na OMC, os EUA têm sido acusados de violar compromissos assumidos com outros países. Descontente com o que chama de economias "que não querem abrir seus mercados e participar de forma justa", o país bloqueou a designação de novos juízes do Órgão de Apelação, que julga controvérsias entre os membros, o que pode tornar a corte inoperante num futuro próximo.

"Nós não temos sido tratados com justiça", afirmou o presidente. Na reunião desta segunda (26), ele citou o caso das motocicletas Harley Davidson, produzidas nos EUA, que são exportadas para a Índia -e, lá, pagam impostos de importação com alíquota de 100%. Recentemente, segundo Trump, o país sugeriu reduzir a alíquota para 50%. "E o que eu deveria dizer sobre isso? Eu deveria ficar feliz? Isso não está certo", comentou.

O presidente atribuiu a responsabilidade dos desequilíbrios comerciais "não ao México, à China ou a ninguém", mas ao próprio país, que "fez um péssimo trabalho por muitos anos". "Eu estou falando de muitos, muitos, muitos presidentes, ao longo de 30, 35 anos", disse Trump. A China, em especial, foi o alvo preferencial das críticas do republicano, que atribuiu ao país uma perda anual de US$ 500 bilhões ao ano em comércio. A potência asiática foi aceita como membro da OMC em 2001, mas Trump acusa o país de não ter aberto sua economia suficientemente desde então.

Trump elogiou o presidente chinês Xi Jinping e disse que ele tem feito um trabalho "único" e tem um excelente relacionamento com os americanos. "Mas o presidente Xi trabalha pela China, e eu pelos Estados Unidos", declarou.

A OMC não havia se manifestado sobre os comentários de Trump até o início da noite desta segunda (26).

Veja também

Estados Unidos tem recorde de 80 mil novos casos de Covid-19 em 24 horas
Coronavírus

Estados Unidos tem recorde de 80 mil novos casos diários de Covid

Sonda da Nasa perde amostras de asteroide no espaço
Espaço

Sonda da Nasa perde amostras de asteroide no espaço