Otan preocupada por declarações de Trump

"Veremos quais são as consequências para a política americana" declarou o chefe da diplomacia alemã

O presidente eleito dos Estados Unidos, Donald TrumpO presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump - Foto: Don Emmert/AFP

A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) está preocupada com as declarações do presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, que a classificou de "obsoleta" em uma entrevista, declarou o chefe da diplomacia alemã, Frank-Walter Steinmeier, depois de se reunir com o secretário-geral da Aliança Atlântica.

"As declarações do presidente eleito Trump, que considera a Otan obsoleta, foram recebidas com preocupação", disse Steinmeier ao chegar a uma reunião de ministros das Relações Exteriores da UE em Bruxelas.

Para Steinmeier, as declarações de Trump entram "em contradição com o que o (próximo) secretário de Defesa americano disse durante sua audiência em Washington há apenas alguns dias". "Veremos quais são as consequências para a política americana", acrescentou.

Embora a reunião desta segunda-feira (16) dos chanceleres europeus estivesse dedicada à situação na Síria e no Oriente Médio, a entrevista do presidente eleito dos Estados Unidos aos jornais The Times e Bild pode "influenciar" na reunião, ante a agitação gerada em Bruxelas, disse.

Para Trump, "a Otan tem problemas, está obsoleta, em primeiro lugar porque foi criada há muitos e muitos anos", e "porque não se ocupou do terrorismo", embora tenha reconhecido que a Aliança Atlântica é "muito importante".

O ministro das Relações Exteriores espanhol, Alfonso Dastis, convocou, por sua vez, a esperar que Trump assuma seu cargo, no dia 20 de janeiro. "À medida que Donald Trump for conhecendo a UE e a Otan de dentro e participando de seus trabalhos, eu espero que mude de opinião", disse em Bruxelas.

Veja também

Policiais do Capitólio prendem homem que tentou passar por barreira
Capitólio

Policiais do Capitólio prendem homem que tentou passar por barreira

EUA realiza última execução do mandato de Trump
EUA

EUA realiza última execução do mandato de Trump