Papa adverte sobre obsessão de jovens em receber "curtidas" na internet

Para o Papa Francisco, os jovens precisam se sentir amados

Para o Papa Francisco, os jovens precisam se sentir amadosPara o Papa Francisco, os jovens precisam se sentir amados - Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil/Arquivo

O papa Francisco publicou nesta quinta-feira (22) sua mensagem para a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) de 2018 e advertiu sobre o atual medo que os jovens têm de não serem aceitos pelo que são e que muitos estão se tornando obsessivos em receber "curtidas" nas redes sociais. A informação é da EFE.

A Igreja Católica realizará a JMJ em nível diocesano em 25 de março, e a mensagem publicada hoje é um "passo a mais no processo de preparação para a JMJ do Panamá, que se realizará em janeiro de 2019", escreveu o papa. Ele disse que atualmente muitos jovens se sentem atingidos por receios e que em muitos "existe um profundo medo de não serem amado e queridos pelo que são".

"Muitos jovens fazem continuamente 'photoshop' das suas imagens, escondendo-se por trás de máscaras e identidades falsas, chegando quase a tornar-se, eles próprios, um 'fake', uma identidade falsa", alertou o sumo pontífice.

Leia também: 
Papa brinca ao dizer que está na 'lista de espera' para ser canonizado
Documentário sobre papa Francisco chega a cinemas dos EUA em maio

O papa, que costuma usar uma linguagem coloquial e moderna quando fala com os jovens, disse ainda que "muitos têm a obsessão de receber o maior número possível de 'likes' (curtidas). E desta sensação de desajustamento, surgem muitos medos e incertezas".

Para Francisco, os jovens temem não conseguir encontrar uma segurança afetiva e "frente à precariedade do trabalho", muitos têm medo a não alcançar uma situação profissional satisfatória e não cumprir os seus sonhos. Como ajuda para os momentos de "dúvida e medo", ele propôe o "discernimento para colocar em ordem os pensamentos e sentimentos e atuar de maneira justa e prudente" e assim " não perder tempo e energias com fantasmas sem rosto nem consistência".

"Não deixeis, queridos jovens, que os fulgores da juventude se apaguem na escuridão duma sala fechada, onde a única janela para olhar o mundo seja a do computador e do smartphone", aconselhou. O pontífice concluiu a sua mensagem dizendo que a JMJ "é para os corajosos" e " não para jovens que só buscam comodidade, recuando à vista das dificuldades". "Aceitam o desafio?", perguntou Francisco.

Veja também

Após morte de George Floyd, capas de revistas com negros disparam
EUA

Após morte de George Floyd, capas de revistas com negros disparam

Pandemia implode sistema de testes, e Alemanha e França reimpõem bloqueios
Coronavírus

Pandemia implode sistema de testes, e Alemanha e França reimpõem bloqueios