A-A+

Papa cancela participação em retiro por resfriado

Francisco explicou que seguirá as meditações propostas, unindo-se espiritualmente à Cúria

Papa FranciscoPapa Francisco - Foto: Filippo Monteforte/AFP

O papa Francisco anunciou neste domingo (1º) que não participará de um retiro espiritual de seis dias com a Cúria em Ariccia, ao sul de Roma, em razão de um resfriado.

"Infelizmente, um resfriado me obriga a não participar este ano" do retiro da Quaresma, declarou após a oração do Angelus, oficiada na Praça de São Pedro pela janela do palácio apostólico, durante a qual teve dois acessos de tosse. 

Leia também:
Papa Francisco cancela missa por resfriado e tosse
Papa Francisco cancela compromissos públicos pelo 3º dia consecutivo

O papa explicou que seguirá as meditações, unindo-se espiritualmente à Cúria.  "Uno-me espiritualmente à Cúria e a todas as pessoas que estão vivendo momentos de oração, fazendo os exercícios espirituais em casa", explicou o Santo Padre. "Não há evidências que nos levem a diagnosticar nada além de uma leve indisposição", ressaltou, por sua vez, o porta-voz do Vaticano, quando questionado pela imprensa, em plena epidemia do novo coronavírus.

Depois do Angelus, o papa quis expressar sua preocupação com os milhares de migrantes que chegaram nos últimos dias à fronteira entre a Grécia e a Turquia. "Estou um pouco triste por causa das notícias de tantas pessoas deslocadas, de tantos homens, mulheres e crianças expulsas por causa da guerra, tantos migrantes que pedem refúgio no mundo e ajuda", disse o pontífice, que pediu aos fiéis que orem por eles.

Na sexta-feira, a Turquia anunciou que havia aberto suas fronteiras terrestres e marítimas para permitir a passagem de migrantes, o que reacendeu a preocupação da Europa com uma nova onda de migração como a que abalou o continente em 2015.

O papa planejava passar seis dias em Ariccia a partir deste domingo. Lá deveria oficiar uma missa diária e participar dos chamados exercícios espirituais, liderados por um pregador jesuíta, juntamente com membros da Cúria Romana.

Na quinta-feira, ele já havia reduzido sua agenda por causa de uma "leve indisposição".

Na quarta-feira, já estava resfriado quando participou de dois eventos ao ar livre, o que o levou a cancelar sua participação em uma missa na basílica de São João de Latrão, em Roma, no dia seguinte.

Na quarta-feira, o papa apertou a mão, como costuma fazer, de dezenas de fiéis e beijou algumas crianças na praça de São Pedro, durante sua audiência tradicional.

À tarde, participou de uma procissão a pé em direção à basílica de Santa Sabina, sede histórica dos dominicanos.

Mas, depois disso, cancelou por três dias suas "audiências" oficiais no palácio apostólico e ficou na residência de Santa Marta, no Vaticano, onde reside.

No entanto, ele continuou celebrando a missa da manhã e recebendo visitantes, como o chefe da Igreja Greco-Católica da Ucrânia, Sviatoslav Shevchuk, com quem se reuniu no sábado.

O papa, que tem um pulmão que não funciona adequadamente devido a uma doença que sofreu quando jovem e que sofre de problemas no quadril, não costuma cancelar seus compromissos.

Veja também

Repórter deixa ESPN após se recusar a tomar vacina da Covid-19
Vacina

Repórter deixa ESPN após se recusar a tomar vacina da Covid-19

Trabalhadores de Hollywood levantam ameaça de greve
Cinema

Trabalhadores de Hollywood levantam ameaça de greve