Papa Francisco se reúne com vítimas de abusos sexuais do clero chileno

A organização Bishop Accountability publicou uma lista com 80 sacerdotes, clérigos e uma monja acusados de abusos sexuais contra menores no país

Papa Francisco visita o ChilePapa Francisco visita o Chile - Foto: PABLO VERA LISPERGUER / AFP

O papa Francisco se encontrou com vítimas de abusos sexuais cometidos por integrantes do clero chileno na nunciatura de Santiago, em um momento de pausa da visita do pontífice ao país.

As informações foram divulgadas pelo porta-voz do Vaticano, Greg Burke. Ele afirmou que Francisco recebeu um pequeno grupo de vítimas após o almoço. O encontro foi particular. "Só havia o papa e eles. Desse modo, eles puderam contar seus sofrimentos. O papa os ouviu e orou com eles", acrescentou o porta-voz.

Leia também:
No Chile, papa diz ter 'vergonha' por casos de abuso sexual e pede perdão
Igrejas sofrem novos ataques durante visita do Papa ao Chile


Burke não quis dar mais detalhes sobre o grupo para manter a privacidade das vítimas. O porta-voz do Vaticano ressaltou que as duas palavras ditas por Francisco hoje, em sua primeira visita ao Chile, foram paz e perdão. Ele lembrou que o papa pediu perdão pelos abusos contra menores durante discurso no Palácio de La Moneda, sede do governo chileno.

A chegada de Francisco ao Chile reacendeu o escândalo das curas de pedófilos dentro da Igreja Católica. A organização Bishop Accountability publicou uma lista com 80 sacerdotes, clérigos e uma monja acusados de abusos sexuais contra menores no país.

Durante uma viagem aos Estados Unidos em 2015, Francisco já tinha se reunido com vítimas de abusos sexuais cometidos pela Igreja. O pontífice também realizou reuniões similares no Vaticano.

Veja também

A 9 dias da eleição nos EUA, número de votos antecipados em 2020 ultrapassa os de 2016
EUA

A 9 dias da eleição nos EUA, número de votos antecipados em 2020 ultrapassa os de 2016

Festa nas ruas do Chile após aprovação de nova Constituição em plebiscito
América Latina

Festa nas ruas do Chile após aprovação de nova Constituição em plebiscito