Papa lava os pés dos presos não católicos

Papa Francisco celebrou mais uma vez a missa da Quinta-Feira Santa em uma prisão fazendo a cerimônia do lava-pés com doze presos, entre eles dois muçulmanos, um judeu ortodoxo e um budista

Papa Francisco na cerimônia de lava-pésPapa Francisco na cerimônia de lava-pés - Foto: Osservatore Romano

O papa Francisco celebrou mais uma vez a missa da Quinta-Feira Santa em uma prisão fazendo a cerimônia do lava-pés com doze presos, entre eles dois muçulmanos, um judeu ortodoxo e um budista. Depois de uma breve reunião particular com os presos doentes, o papa celebrou durante a tarde a missa da Última Ceia e o rito da lavagem de pés com doze detentos da prisão de Regina Coeli.

"Cada um tem a oportunidade de mudar de vida e não tem de ser julgado", enfatizou o papa depois de acrescentar que ele próprio se considera um pecador, em uma homilia transmitida pela rádio Vaticano. Na tradição cristã, a Quinta-Feira Santa comemora o dia em que Jesus lavou os pés dos apóstolos e celebrou a instituição da Eucaristia na Última Ceia.

Leia também:
Papa Francisco diz que inferno não existe, segundo jornal italiano
Missa dos Óleos reúne clérigos e fiéis na Catedral da Sé

O papa visita com regularidade as prisões em suas viagens ao exterior. Durante a manhã, na tradicional missa na basílica de São Pedro, diante de padres e religiosos de Roma, o papa recomendou que sejam "sacerdotes de rua" e estejam mais disponíveis para os fiéis.

Veja também

Chilenos pausam protestos e vão às urnas em massa em plebiscito histórico
Plebiscito

Chilenos pausam protestos e vão às urnas em massa em plebiscito histórico

Piñera vota em plebiscito no Chile sobre mudança na Constituição
Chile

País sai às urnas neste domingo (25) para decidir sobre a elaboração de uma nova Constituição