Papa pede 'condenação clara' da violência e do terrorismo

Pontífice lamenta que nome de Deus seja invocado para justificar atos de barbárie

Geraldo JulioGeraldo Julio - Foto: Arthur de Souza/Folha de Pernambuco

O papa Francisco pediu nesta quinta-feira (3) a 200 representantes de várias religiões do mundo uma "clara condenação" da violência e do terrorismo, durante uma audiência no Vaticano.

O evento foi realizado para marcar o Jubileu, o ano santo da misericórdia, que termina em 20 de novembro, e que é um assunto "familiar para muitas tradições religiosas e culturais", recordou o pontífice, que acolheu cristãos, judeus, muçulmanos e budistas.

"Vamos rejeitar o caminho do desacordo e da rejeição. Que as religiões, por causa do comportamento de alguns dos seus fiéis, parem de transmitir uma mensagem distorcida, que não tem nada a ver com a misericórdia", pediu Francisco.

"Infelizmente não passa um dia sem que ouvimos falar de violência, conflito, sequestros, ataques terroristas, assassinatos e destruição. É horrível que, às vezes, para justificar atos de barbárie o nome da religião ou de Deus é invocado", lamentou.

Veja também

Rússia espera registro da Sputnik V no Brasil em dezembro e produção em janeiro
Covid-19

Rússia espera registro da Sputnik V no Brasil em dezembro e produção em janeiro

Alasca tem alerta de tsunami após forte terremoto
Magnitude de 7,5

Alasca tem alerta de tsunami após forte terremoto