Papa pede 'condenação clara' da violência e do terrorismo

Pontífice lamenta que nome de Deus seja invocado para justificar atos de barbárie

Geraldo JulioGeraldo Julio - Foto: Arthur de Souza/Folha de Pernambuco

O papa Francisco pediu nesta quinta-feira (3) a 200 representantes de várias religiões do mundo uma "clara condenação" da violência e do terrorismo, durante uma audiência no Vaticano.

O evento foi realizado para marcar o Jubileu, o ano santo da misericórdia, que termina em 20 de novembro, e que é um assunto "familiar para muitas tradições religiosas e culturais", recordou o pontífice, que acolheu cristãos, judeus, muçulmanos e budistas.

"Vamos rejeitar o caminho do desacordo e da rejeição. Que as religiões, por causa do comportamento de alguns dos seus fiéis, parem de transmitir uma mensagem distorcida, que não tem nada a ver com a misericórdia", pediu Francisco.

"Infelizmente não passa um dia sem que ouvimos falar de violência, conflito, sequestros, ataques terroristas, assassinatos e destruição. É horrível que, às vezes, para justificar atos de barbárie o nome da religião ou de Deus é invocado", lamentou.

Veja também

Joe Biden promete vacinas eficazes para todos os adultos nos EUA antes do final de maio
Vacina

Joe Biden promete vacinas eficazes para todos os adultos nos EUA antes do final de maio

Alemanha deve relaxar restrições com testes em massa
Coronavírus

Alemanha deve relaxar restrições com testes em massa