Papa prorroga de forma indefinida que os padres possam absolver o aborto

"Não existe nenhum pecado que a misericórdia de Deus não possa alcançar e destruir, ali onde se encontra um coração arrependido", disse Francisco

Papa FranciscoPapa Francisco - Foto: Tiziana Fabi/AFP

O papa Francisco anunciou nesta segunda-feira (21) que todos os padres poderão absolver de forma indefinida o "pecado do aborto", tornando permanente uma medida temporária que foi instituída para o Jubileu da Misericórdia concluído no domingo (20).

"Para que nenhum obstáculo se interponha entre o pedido de reconciliação e o perdão de Deus, de agora em diante concedo a todos os sacerdotes, em razão de seu ministério, a faculdade de absolver a quem tenha procurado o pecado do aborto", escreveu o papa em uma carta apostólica. "Quando concedi de modo limitado, para o período jubilar, o estendo agora no tempo", acrescentou.

"Quero enfatizar com todas as minhas forças que o aborto é um pecado grave, porque põe fim a uma vida humana inocente. Com a mesma força, no entanto, posso e devo afirmar que não existe nenhum pecado que a misericórdia de Deus não possa alcançar e destruir, ali onde se encontra um coração arrependido", disse ainda.

Sempre preocupado por não excluir ninguém do perdão divino, o papa estendeu também a validade das absolvições concedidas pelos sacerdotes integristas da Irmandade Sacerdotal São Pio X, comunidade fundada por Marcel Lefebvre que rompeu com a Igreja em 1988.

Veja também

Brasil veta plano do Mercosul por incluir expressão 'crimes de ódio' contra pessoas LGBT
mercosul

Brasil veta plano do Mercosul por incluir expressão 'crimes de ódio' contra pessoas LGBT

Usar máscara poderia evitar 130.000 mortes nos EUA, aponta estudo
Coronavírus

Usar máscara poderia evitar 130.000 mortes nos EUA, aponta estudo