Petição pedindo fim de armas nucleares será levada às Nações Unidas

A petição já tem mais de 10 milhões de assinaturas

Armamento nuclearArmamento nuclear - Foto: KNS/AFP

Mais de 10 milhões de assinaturas foram recolhidas para uma petição pedindo que países façam parte de um acordo da Organização das Nações Unidas que proíbe o desenvolvimento e posse de armas nucleares.

Um grupo, que inclui o Nihon Hidankyo — a Confederação do Japão das Organizações de Vítimas das Bombas Atômica e de Hidrogênio —, vem recolhendo as assinaturas com o objetivo de convencer as nações a se juntarem ao Tratado sobre a Proibição de Armas Nucleares, que foi adotado em 2017.

Leia também:
Governo cria grupo técnico para desenvolvimento do setor nuclear
Estados Unidos testam míssil após deixar tratado nuclear
Os riscos na instalação de usina nuclear em Pernambuco

Durante uma coletiva de imprensa realizada nessa segunda-feira (30), o grupo informou que o número de assinaturas tanto do Japão quanto internacionais chegaram a 10,5 milhões. O grupo também divulgou que, ainda no início de outubro, uma delegação será enviada em visita à sede das Nações Unidas em Nova York para apresentar a lista ao presidente do comitê responsável por discutir questões que incluem o desarmamento.

Até o momento, 32 países ratificaram o pacto, fazendo com que sejam necessárias outras 18 ratificações para que ele entre em efeito. O Japão não assinou o tratado, argumentando que ele não apresenta um método realístico para se alcançar o desarmamento nuclear. Nenhum dos países com capacidade nuclear faz parte do acordo.

Veja também

Centenas de baleias encalhadas são encontradas no sul da Austrália
Mundo

Centenas de baleias encalhadas são encontradas no sul da Austrália

Neurônios cansados podem provocar distorção na percepção do tempo
Ciência

Neurônios cansados podem provocar distorção na percepção do tempo