Polícia não vê relação entre autor de ataque em Londres e o EI

Ele se chamava Adrian Russell Ajao antes de se converter ao islã e mudar seu nome para Khalid Masood

Ataque desta quarta-feira (22), que deixou três mortos, além do agressor, foi reivindicado nesta quinta-feira pelo EIAtaque desta quarta-feira (22), que deixou três mortos, além do agressor, foi reivindicado nesta quinta-feira pelo EI - Foto: Daniel Leal-Olivas/AFP

A polícia do Reino Unido disse nesta segunda-feira (27) não ter encontrado evidências de que Khalid Masood, extremista que atropelou uma multidão e esfaqueou um policial na semana passada próximo ao Parlamento britânico, em Londres, tivesse relações com o EI (Estado Islâmico) ou a Al Qaeda.

Segundo o comissário assistente adjunto Neil Basu, o agressor tinha um claro "interesse pela jihad" (guerra santa), mas não era "objeto de atenção" das autoridades britânicas de contraterrorismo antes do atentado da última quarta-feira (22). Ele foi morto pela polícia após realizar o atentado.

"Seu método de ataque parece ser baseado em baixa sofisticação, baixa tecnologia, tecnologias de baixo custo copiadas de outros ataques, e ecoa a retórica de líderes do EI em termos de metodologia e de mirar policiais e civis, mas neste momento não tenho evidências de que ele discutiu [os planos de ataque] com outros", disse Basu em um comunicado.

Masood, 52, era um cidadão britânico e tinha uma série de condenações prévias por agressões, porte ilegal de arma e crimes contra a ordem pública. Ele se chamava Adrian Russell Ajao antes de se converter ao islã e mudar seu nome para Khalid Masood.

As autoridades britânicas ainda tentam descobrir a origem de sua radicalização. "Eu sei quando, onde e como Massod cometeu suas atrocidades, mas agora preciso saber por que", afirmou Basu.

O EI reivindicou a autoria do atentado em Londres e disse que Masood era um "soldado do califado".

Mãe

A mão de Masood, Janet Ajao, declarou nesta segunda que ela está "chocada, triste e abatida" pelas ações do filho.

"Eu não tolero as ações dele nem apoio as crenças que o levaram a cometer essa atrocidade", disse ela em comunicado.

Veja também

Policiais do Capitólio prendem homem que tentou passar por barreira
Capitólio

Policiais do Capitólio prendem homem que tentou passar por barreira

EUA realiza última execução do mandato de Trump
EUA

EUA realiza última execução do mandato de Trump