Políticos e artistas comentam a morte de Fidel Castro nas redes sociais

Repercussão nas redes sociais chamou a atenção pela polarização entre admiradores e críticos do cubano

Paulo Câmara (PSB) esteve em Goiana com a Frente PopularPaulo Câmara (PSB) esteve em Goiana com a Frente Popular - Foto: Hélia Scheppa/PSB

A morte do ditador cubano Fidel Castro foi comentada pelos principais líderes mundiais neste sábado (26).

Leia mais:
» "A história registrará e julgará o enorme impacto de sua personalidade singular", diz Obama sobre Fidel Castro
» Temer, Dilma e Lula lamentam morte de Fidel Castro
»Em Cuba, população se divide entre festa e lamento pela morte de Fidel
»Trump: Fidel Castro foi um "ditador brutal" que oprimiu seu povo
»O futuro incerto da ilha revolucionária ante a morte de Fidel
»Cuba declara nove dias de luto pela morte de Fidel Castro
»Veja a repercussão da morte do ditador cubano Fidel Castro
»Miami festeja a morte de Fidel e proclama uma "Cuba livre"
»Confira as principais datas da vida do ex-presidente cubano Fidel Castro
»Presidentes latino-americanos lamentam a morte de Fidel
»Fidel Castro morre em Cuba aos 90 anos


"A história registrará e julgará o enorme impacto de sua personalidade singular no povo e no mundo em volta dele", afirmou, em um comunicado, o presidente norte-americano, Barack Obama.

No Brasil, a repercussão nas redes sociais chamou a atenção pela polarização entre admiradores e críticos do cubano.

Ana Paula, ex-jogadora de vôlei, publicou em sua conta no Twitter com uma imagem animada de Donald Trump.

Em sua página no Facebook, o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) publicou vídeo no qual chamava Fidel de "o exterminador de liberdades e promotor da miséria". "O mundo democrático deseja-lhe estadia eterna nas profundezas do inferno", disse.

Seu filho, o deputado estadual Flávio Bolsonaro (PSC-RJ) afirmou que "acabou o luto pelo nascimento de Fidel".

A advogada e professora da USP Janaina Paschoal, autora do processo de impeachment de Dilma Rousseff, pediu "piedade de sua alma" e que "os ditadores vivos sejam retirados do poder, em vida e em breve".

O cantor Lobão compartilhou postagem irônica de Yoani Sánchez sobre a falta que o ditador cubano faria em sua vida (nenhuma).

O MBL (Movimento Brasil Livre) chamou Fidel de "genocida" que já "teria ido tarde".

O ex-governador Tarso Genro (PT-RS) disse que Fidel era "grande estadista" no mesmo patamar do líder sul-africano Nelson Madela (1918-2013). Sua filha, Luciana Genro (PSOL-RS), publicou foto em frente ao monumento em homenagem ao político cubano, a quem chamou de "comandante pela luta da libertação latino-americana".

"Foi um dos mais importantes líderes políticos contemporâneos", publicou em seu perfil do Facebook Eduardo Suplicy (PT-SP). O vereador lembrou que foi "muito importante" que Fidel "tenha apoiado e vivido o restabelecimento das relações com os EUA".

O ator José de Abreu publicou "Hasta siempre Comandante!", acompanhado da hashtag "morre um dos meus heróis". O youtuber PC Siqueira disse que em 90 anos Fidel "nunca foi derrotado", provocando a ira de alguns seguidores.

Veja também

A 9 dias da eleição nos EUA, número de votos antecipados em 2020 ultrapassa os de 2016
EUA

A 9 dias da eleição nos EUA, número de votos antecipados em 2020 ultrapassa os de 2016

Festa nas ruas do Chile após aprovação de nova Constituição em plebiscito
América Latina

Festa nas ruas do Chile após aprovação de nova Constituição em plebiscito