Prefeito de Berlim diz a Trump que muros só causam 'sofrimento'

"Pense em seu antecessor (...) Lembre-se destas palavras. Por isto lhe digo: Querido Presidente, não construa este muro!" - declarou Müller

Presidente dos EUA, Donald TrumpPresidente dos EUA, Donald Trump - Foto: Nicholas Kamm / AFP

O prefeito de Berlim pediu nesta sexta-feira (27) ao presidente americano, Donald Trump, que renuncie à construção de um muro entre os Estados Unidos e o México, destacando o "sofrimento" causado na Alemanha e na Europa pelo Muro de Berlim.

"Berlim, a cidade da divisão na Europa, a cidade da liberdade na Europa, não pode ficar calada quando um país planeja construir um novo muro", declarou o social democrata Michaël Müller sobre o projeto de Trump.

"Nós berlinenses sabemos de todo o sofrimento que causamos a um continente inteiro com uma divisão de cercas e muros. Milhões de pessoas perderam suas oportunidades de vida" por causa do Muro de Berlim, símbolo da divisão entre o oeste e o bloco soviético, que cortou de 1961 a 1989 a cidade em dois.

Para muitos alemães, tando do oeste como do leste, este muro de concreto que cercava Berlim Oriental ao longo de 155 km também simbolizou dolorosas separações de familiares entre 13 de agosto de 1961 e 9 de novembro de 1989, quando caiu.

"Exorto o presidente dos Estados Unidos a não tomar este mau caminho de exclusão. Em todas as partes onde este tipo de fronteira existe, como entre as duas Coreias ou em Chipre, surgem servidão e sofrimento", declarou Müller.

O prefeito recordou as palavras dirigidas em 12 de junho de 1987 em Berlim Oriental pelo então presidente americano, Ronald Reagan, a seu homólogo soviético, Mikhail Gorbatchev: "Derrube este muro!".

"Pense em seu antecessor (...) Lembre-se destas palavras. Por isto lhe digo: Querido Presidente, não construa este muro!" - declarou Müller.

Veja também

Ex-policial Derek Chauvin é considerado culpado de todas as acusações pela morte de George Floyd
George Floyd

Ex-policial Derek Chauvin é considerado culpado de todas as acusações pela morte de George Floyd

Biden considera 'esmagadoras' as evidências do julgamento da morte de George Floyd
EUA

Biden considera 'esmagadoras' as evidências do julgamento da morte de George Floyd