Premiê visita região afetada por chuvas no Japão

Primeiro-ministro Shinzo Abe visitou vários lugares afetados e se reuniu em privado com alguns moradores instalados em abrigos

Primeiro-ministro japonês Shinzo Abe visita pessoas em abrigosPrimeiro-ministro japonês Shinzo Abe visita pessoas em abrigos - Foto: Martin Bureau / AFP

O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, visitou desabrigados nesta quarta-feira (11), na região oeste do país, onde pelo menos 179 pessoas morreram após chuvas torrenciais que causaram inundações e deslizamentos de terra.

Depois de cancelar uma viagem por quatro países, incluindo Bélgica e França, Shinzo Abe deixou Tóquio no início desta manhã para sobrevoar a província de Okayama, uma das mais atingidas, junto com Hiroshima. O premiê também visitou vários lugares afetados e se reuniu em privado com alguns moradores instalados em abrigos. Não deu declarações à imprensa.

O porta-voz do governo confirmou as 179 mortes e advertiu que há vários desaparecidos na maior tragédia provocada por um fenômeno meteorológico no Japão desde 1982. As autoridades falam em pelo menos nove desaparecidos, enquanto a imprensa já aponta para algo entre 50 e 60.

Leia também:
Com Obama, premiê japonês visita Pearl Harbor e oferece condolências
Chuvas deixam pelo menos 156 mortos no Japão
Número de mortos por chuvas no Japão sobe para 100


Agora, as equipes de emergência lutam para encontrar sobreviventes entre os escombros, uma possibilidade cada vez mais remota. Mais de 10 mil pessoas que abandonaram suas casas permaneciam em abrigos no centro e no oeste do Japão.
As buscas e os trabalhos de limpeza prosseguem sob um intenso sol, com temperaturas previstas de 35º C.

Nas atuais circunstâncias, os socorristas precisam "de uma grande vigilância" pelo risco de insolação e ondas de calor, assim como pela possibilidade de novos deslizamentos de terra, explicou o porta-voz.

As fortes chuvas registradas entre sexta-feira e domingo provocaram grandes inundações, ondas de lama e muitos danos, que deixaram vários moradores bloqueados, apesar das ordens -não obrigatórias- e das recomendações para que milhões de pessoas abandonassem suas casas.

Veja também

EUA destacam 'metas promissoras' de Bolsonaro para proteção ambiental
Diplomacia

EUA destacam 'metas promissoras' de Bolsonaro para proteção ambiental

Israel realiza novos bombardeios na Faixa de Gaza em resposta a balões incendiários
Conflito

Israel realiza novos bombardeios na Faixa de Gaza em resposta a balões incendiários