Mundo

Presidente do Panamá pede mais celeridade à Justiça contra corrupção

As declarações de Varela acontecem dias depois de o Departamento de Justiça dos Estados Unidos revelar que a Odebrecht pagou comissão de mais de 59 milhões de dólares no Panamá

Estudantes da Escola do Coque tiveram trabalho reconhecido e vão participar de uma feira no Paraguai em 2020Estudantes da Escola do Coque tiveram trabalho reconhecido e vão participar de uma feira no Paraguai em 2020 - Foto: Divulgação /PCR

O presidente do Panamá, Juan Carlos Varela, pediu nesta segunda-feira à Justiça de seu país maior rapidez nas investigações que realiza sobre casos de corrupção, que atingem o ex-presidente panamenho Ricardo Martinelli e a empreiteira brasileira Odebrecht. "A justiça não pôde avançar tão rápido como esperamos e isso deve mudar", disse Varela durante um discurso pelo início do período legislativo.

Varela pediu ao sistema judicial de seu país que "agilize os processos para chegar a sentenças definitivas, sejam condenações ou absolvições, para que os responsáveis da comissão de atos de corrupção prestem contas à justiça e que os patrimônios cautelados possam ingressar nos cofres do Estado".

As declarações de Varela acontecem dias depois de o Departamento de Justiça dos Estados Unidos revelar que a Odebrecht pagou entre 2010 e 2014 comissão de mais de 59 milhões de dólares no Panamá para a obtenção de contratos.

Veja também

Rússia exibe míssil de cruzeiro hipersônico Zircon em teste no mar
Guerra

Rússia exibe míssil de cruzeiro hipersônico Zircon em teste no mar

Deslizamento deixa três mortos e quatros desaparecidos na Guatemala
chuvas

Deslizamento deixa três mortos e quatros desaparecidos na Guatemala