Presidentes dos EUA e do México falam em se reunir pela primeira vez

Desde que Trump chegou à Casa Branca, as relações bilaterais alcançaram seu ponto mais crítico e, pela primeira vez na história recente, os presidentes desses países vizinhos não se reuniram

Presidente Donald TrumpPresidente Donald Trump - Foto: Jim Watson/AFP

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e do México, Andrés Manuel López Obrador, expressaram sua intenção de se reunir em meio a tensas relações bilaterais causadas pela crise migratória e divergências comerciais.

"Certamente teremos uma reunião mais tarde com Trump, e minha respeitosa recomendação é que seja em setembro", declarou López Obrador nesta sexta-feira em sua coletiva diária matinal.

Na quinta-feira (20), em entrevista à rede Telemundo, o presidente dos Estados Unidos também expressou sua disposição para uma reunião. "Eu gosto dele", comentou, referindo-se a López Obrador.

Leia também:
Mídia americana diz que Trump aprovou ataque ao Irã mas voltou atrás
Trump lança na Flórida campanha à reeleição em 2020

Uma jornalista perguntou ao presidente de esquerda mexicano se ele também nutria simpatia pelo magnata americano. "Esse é outro assunto", disse ele na coletiva. "Tenho notado que há um tratamento respeitoso em relação a mim e quero que haja respeito mútuo", acrescentou.

Desde que Trump chegou à Casa Branca - com discurso anti-imigrantes e a promessa de fazer o México pagar por um novo muro fronteiriço -, as relações bilaterais alcançaram seu ponto mais crítico e, pela primeira vez na história recente, os presidentes desses países vizinhos não se reuniram.

O ex-presidente Enrique Peña Nieto (2012-2018) só se encontrou com Trump quando era o americano ainda candidato e López Obrador só trocou telefonemas com ele.

Veja também

Pedidos de seguro-desemprego aumentam nos EUA após furacão Ida
furacão

Pedidos de seguro-desemprego aumentam nos EUA após furacão Ida

 EUA, Reino Unido e Austrália anunciam novo pacto para conter a China
mundo

EUA, Reino Unido e Austrália anunciam novo pacto para conter a China