Preso homem que matou seis pessoas da família na Argentina

Por volta de meia-noite de domingo (5), Diego Loscalzo tomou a arma da esposa, a policial Romina Maguna, no meio de uma discussão em casa

Um homem cometeu um massacre familiar na Argentina, ao matar a tiros sua esposa, uma cunhada, dois cunhados, sua sogra, além de ferir outras três pessoas, incluindo uma mulher grávida que perdeu o bebê - informaram fontes judiciais nesta segunda-feira (6).

Por volta de meia-noite de domingo (5), Diego Loscalzo, de 38 anos, tomou a arma de sua mulher, a policial Romina Maguna, no meio de uma discussão em casa. Ele a matou com quatro tiros, de acordo com fontes.

O acusado foi preso nesta segunda-feira quando tentava fugir em um ônibus, declarou a Polícia da província de Córdoba (centro).

O incidente ocorreu na residência do casal em William Morris, na periferia noroeste de Buenos Aires, de acordo com o relatório judicial. A morte de Maguna foi o início de um banho de sangue.

Uma irmã de Maguna ouviu os tiros e descia as escadas de um andar superior da casa, quando foi atingida.

Com a arma da esposa, Loscalzo matou em seguida um de seus cunhados e feriu gravemente um vizinho que tentou ajudar Maguna.

"O único que escapou ileso da casa foi um menino de 9 anos, filho de Maguna de outro casamento. Em seu depoimento, o menino disse que Loscalzo colocou a arma em seu peito, mas que ele pediu 'pai, não me mate'", disseram fontes da polícia.

O homem fugiu de moto, mas foi perseguido de carro por um outro cunhado que conseguiu impedi-lo. Ele abriu fogo, matando o irmão e a mãe da esposa. Os tiros também feriram uma outra pessoa da família e uma menina de 12 anos. Prestes a ter um bebê, a mulher ferida foi internada em estado grave e perdeu o filho.

Há sete meses, Loscalzo havia sido denunciado por sua esposa em uma delegacia local por violência doméstica.

Veja também

Pedro Castillo toma posse como presidente do Peru
América Latina

Pedro Castillo toma posse como presidente do Peru

Esperança de encontrar sobreviventes de explosão na Alemanha é cada vez menor
Acidente

Esperança de encontrar sobreviventes de explosão na Alemanha é cada vez menor