Mundo

Primeiro-ministro israelense tenta tranquilizar México por tuíte sobre muro de Trump

Netanyahu causou indignação no México ao se mostrar a favor do projeto de Trump de construir um muro na fronteira mexicana

O primeiro-ministro de Israel Benjamin NetanyahuO primeiro-ministro de Israel Benjamin Netanyahu - Foto: GALI TIBBON / AFP

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, tentou tranquilizar o México, nesta terça-feira (31), sugerindo que a crise provocada por defender a ideia de Donald Trump de construir um muro na fronteira não passava de um "mal-entendido".

Netanyahu causou indignação no México ao se mostrar a favor, no último sábado (28), do projeto de Trump de construir um muro na fronteira mexicana. "O presidente Trump tem razão. Construí um muro ao longo da fronteira sul de Israel [com o Egito]. Isso reduziu a imigração ilegal. Grande sucesso. Ideia formidável", tuitou Netanyahu.

No domingo, o Ministério mexicano das Relações Exteriores expressou sua "rejeição a essa declaração" e acrescentou que esperava "um esclarecimento, uma retificação". "Acho que uma desculpa seria algo apropriado neste caso", insistiu.

Nesta terça-feira, o premiê israelense declarou que Israel "continuará mantendo boas relações" com o México, segundo um comunicado. "Estou convencido de que nossas relações são mais fortes do que todo desacordo temporário, ou mal-entendido", frisou, ressaltando que tem uma relação "muito cordial" com o presidente mexicano, Enrique Peña Nieto.

Netanyahu também tentou explicar o significado de seu tuíte.

O premiê disse querer "ressaltar o sucesso do muro de segurança [com o Egito]. Mas eu não fiz comentários sobre as relações entre os Estados Unidos e o México", alegou, sem pedir desculpas.

Nesta terça, o presidente israelense, Reuven Rivlin, conversou por telefone com Peña Nieto. "Estou certo de que ninguém teve a intenção de comparar a situação na qual Israel e México se encontram", minimizou o presidente, segundo o comunicado divulgado por seu gabinete.

"As relações entre nós são a tal ponto intensas e importantes que devemos deixar esses mal-entendidos para trás", acrescentou o presidente Rivlin. Ele dise ainda que "lamenta todos os danos causados por esse mal-entendido", em alusão ao tuíte do premiê.

À frente do governo considerado como o mais direitista da história de Israel, Netanyahu criticou a imprensa "esquerdista", acusando-a de alimentar a crise com o México.

A Chancelaria mexicana divulgou, por sua vez, um comunicado intitulado "Israel se desculpa por prejudicar o México", apontando que o tuíte de Netanyahu "colocou em desarmonia o México e a comunidade judia mexicana e lamentou a relação entre ambos os países". "O presidente Rivlin ofereceu desculpas por prejudicar o México e fez votos de que a relação retome sua via de cooperação e amizade", acrescentou o texto.

A nota lembrou que, na conversa com Rivlin, Peña Nieto "indicou claramente que nosso país sempre procurou uma relação muito próxima com Israel". O presidente mexicano cancelou a reunião que teria nesta terça-feira com Donald Trump, em Washington, em razão da construção do muro.

Veja também

Espanha avança na adoção de licença médica menstrual, medida sem precedentes na Europa
Dignidade menstrual

Espanha avança na adoção de licença médica menstrual, medida sem precedentes na Europa

Venezuelano se torna o homem mais velho do mundo com 112 anos
mundo

Venezuelano se torna o homem mais velho do mundo