A-A+

Procurador-geral: Não houve 'cooperação' entre campanha de Trump e russos

Bill Barr afirmou que Trump não agiu para impedir a investigação de Mueller

Donald Trump e Bill BarrDonald Trump e Bill Barr - Foto: Reprodução/Twitter

O procurador-geral dos Estados Unidos, Bill Barr, disse nesta quinta-feira (18) que o relatório do procurador especial Robert Mueller concluiu que não houve "cooperação" entre a equipe de campanha de Donald Trump e os russos nas eleições de 2016.

"O informe do procurador especial afirma que a investigação não estabeleceu que membros da campanha conspiraram, ou estiveram em coordenação com o governo russo em suas atividades de interferência nas eleições", disse Barr em entrevista coletiva.

Barr afirmou que Trump não agiu para impedir a investigação de Mueller, em meio a acusações de obstrução de Justiça. "Há provas substanciais que mostram que o presidente estava frustrado e irritado com a convicção de que a investigação estava afetando sua presidência, que era promovida por seus opositores e que foi alimentada por vazamentos ilegais", disse Barr antes da publicação do relatório de Mueller.

Leia também:
Relatório de procurador especial é ambíguo sobre Trump
EUA vão permitir ações judiciais sobre bens confiscados por Cuba
União Europeia considera impor tarifas sobre produtos dos EUA
EUA anuncia restrições a viagens e envio de remessas a Cuba

O procurador-geral ressaltou que a Casa Branca "cooperou" plenamente com a investigação especial. "O presidente não tomou qualquer ação que privasse o procurador especial de documentos, ou das testemunhas necessárias para completar sua investigação", declarou Barr.

O secretário afirmou ainda que os advogados do presidente americano tiveram acesso a uma versão editada do informe de Mueller, antes de sua divulgação nesta quinta. A Casa Branca não fez nenhuma mudança no relatório, nem exerceu o privilégio do Executivo de proteger informação, completou o procurador-geral.

As dúvidas e a suspeita continuaram no ar, porém, apesar de Barr ter garantido, em 24 de março passado, que a investigação de Mueller não encontrou quaisquer provas de conluio criminoso da campanha de Trump com a Rússia e que a evidência de obstrução de Justiça por parte do presidente é insuficiente.

O informe será entregue ao Congresso às 11h, ou 12h locais.

Veja também

Saúde emite alerta de risco sobre variante do coronavírus identificada na África do Sul
Ministério

Saúde emite alerta de risco sobre variante do coronavírus identificada na África do Sul

Covid-19: Fiocruz alerta sobre cuidados com nova onda na Europa
Variante

Covid-19: Fiocruz alerta sobre cuidados com nova onda na Europa