Protestos contra morte de jornalista derrubam premiê da Eslováquia

A polícia diz que o assassinato está ligado a uma reportagem que o jornalista fazia sobre a ligação de empresários locais com a máfia italiana

Manifestantes em Bratislava carregam cartazes com o rosto pintado do premiê Robert Fico (esq.) e do ministro Robert Kalinak -Manifestantes em Bratislava carregam cartazes com o rosto pintado do premiê Robert Fico (esq.) e do ministro Robert Kalinak - - Foto: Joe Klamar / AFP

O presidente da Eslováquia, Andrej Kiska, aceitou nesta quinta-feira (15) o pedido de renúncia feito pelo primeiro-ministro Robert Fico. A saída acontece em decorrência de uma onda de protestos que começaram após o assassinato de um jornalista.

O atual vice-premiê Peter Pellegrini, colega de partido do primeiro-ministro, recebeu a missão de formar um novo governo. A coalizão que governa o país é formada por três partidos, que juntos tem 78 das 150 cadeiras do Parlamento.

O grupo é formado pelos sociais-democratas do Smer-SD (49 deputados) -sigla do premiê-, pelo nacionalista SNS (15) e pelo Most-Híd (14), ligado a minoria húngara.
Pellegrini terá como principal desafio manter a coalizão, já que o Most-Híd ameaça deixar o governo, o que faria o grupo perder a maioria na Casa e poderia levar a eleições antecipadas.

A crise política começou após a morte, no dia 25 de fevereiro, do jornalista Jan Kuciak, 27. Os corpos dele e de sua noiva, Martina Kusnirova, foram encontrados com marcas de tiro na casa do casal em Velka Maca (a 45 quilômetros a leste da capital Bratislava).

Leia também: 
Relatório da ONU acusa Exército sírio de estupros sistemáticos
Mais de 12.000 civis fugiram do reduto rebelde sírio de Ghuta Oriental
 
A polícia diz que o assassinato está ligado a uma reportagem que o jornalista fazia sobre a ligação de empresários locais com a máfia italiana. A morte de Kuciak, conhecido no país por suas matérias sobre corrupção, deu início onda de protestos, que tem como principais reivindicações um pedido de uma investigação independente sobre o caso e a convocação de novas eleições

Na sexta (9), milhares de pessoas foram às ruas do país pedir, entre outras coisas, a saída de Fico e do então ministro do Interior, Robert Kalinak -ele acabou renunciando na segunda (12).

Foram as maiores manifestações no país desde que a Eslováquia ficou independente em 1993, perdendo apenas para os protestos que levaram ao fim do comunismo em 1989, quando a região ainda fazia parte da Tchecoslováquia.

Veja também

A 8 dias da eleição, Senado dos EUA confirma juíza ultraconservadora para a Suprema Corte
internacional

A 8 dias da eleição, Senado dos EUA confirma juíza ultraconservadora para a Suprema Corte

Vacinação eficiente contra Covid vai depender de estatísticas, diz agência de saúde europeia
Coronavírus

Vacinação eficiente contra Covid vai depender de estatísticas, diz agência de saúde europeia