Protestos na cidade grega de Salonica pelo nome 'Macedônia'

Manifestação foi convocada por um grupo que incluía clérigos da linha-dura, líderes de extrema direita, grupos nacionalistas e membros da diáspora grega

Protesto contra o uso do nome 'Macedônia', na GréciaProtesto contra o uso do nome 'Macedônia', na Grécia - Foto: Sakis Mitrolidis/AFP

Mais de 90 mil pessoas contrárias à manutenção do nome "Macedônia" na futura apelação oficial deste país se manifestaram neste domingo (21) em Salonica, a maior cidade do norte da Grécia, segundo a Polícia. Os protestos ocorrem em um momento em que se multiplicam os esforços de Atenas e Skopje para solucionar a antiga questão do nome do país balcânico.

Atenas argumenta que o nome Macedônia sugere que Skopje tem reivindicações territoriais sobre a região grega homônima ao norte, da qual Salonica é a capital. A manifestação foi convocada por um grupo que incluía clérigos da linha-dura, líderes de extrema direita, grupos nacionalistas e membros da diáspora grega. Entre os participantes, havia membros do partido neonazista Amanhecer Dourado e do opositor Nova Democracia, apesar da ordem de seu líder de boicotar os protestos.

Segundo os organizadores, mais de 400 mil pessoas participaram do protesto, mas a Polícia grega falava em "mais de 90 mil". O número estaria acima dos 30 mil previstos pela imprensa grega, mas muito abaixo do um milhão nas ruas em 1992, quando começou a crise diplomática.

Leia também:
FMI participa 'pela última vez' de programa de resgate à Grécia
Somente um terço dos 60 mil refugiados na Grécia podem ser realocados
Carta-bomba contra FMI veio da Grécia


Durante a manifestação, que terminou às 13h (horário de Brasília), foram registrados alguns pequenos distúrbios entre manifestantes e grupos anarquistas de uma contramanifestação. A Polícia usou bombas de gás lacrimogêneo para dispersar esses grupos.

Na ONU, o país é denominado Ex-República Iugoslava da Macedônia (FYROM), embora o Conselho de Segurança o tenha reconhecido como nome provisório quando o aceitou como Estado-membro. Se alcançarem um acordo nas negociações da ONU, terá de ser aprovado pelo Parlamento grego.

Veja também

Argentina supera 5 mil mortos por Covid-19
Coronavírus

Argentina supera 5 mil mortos por Covid-19

China alerta EUA para que 'não brinque com fogo' em relação a Taiwan
Mundo

China alerta EUA para que 'não brinque com fogo' em relação a Taiwan