Protestos no Iraque deixam mais de 100 mortos

Protestos tiveram início na capital, Bagdá, no dia 1º, contra a alta taxa de desemprego e a precariedade dos serviços públicos

Manifestações no IraqueManifestações no Iraque - Foto: AHMAD AL-RUBAYE / AFP

Autoridades iraquianas informam que passa de 100 o total de mortos em confrontos entre manifestantes antigoverno e forças de segurança. Os protestos tiveram início na capital, Bagdá, no dia 1º, contra a alta taxa de desemprego e a precariedade dos serviços públicos. Em seguida, se espalharam por cidades do sul do país.

Um porta-voz do Ministério do Interior disse a jornalistas que 104 pessoas morreram, incluindo oito agentes de segurança. O total de feridos chega a 6.107.

Leia também:
Novas manifestações contra o governo e disparos no Iraque
Iraque entra em espiral de protestos com 60 mortos em quatro dias

Um morto em protestos contra alta dos combustíveis no Equador

O porta-voz negou que forças de segurança dispararam munição real contra manifestantes. Segundo ele, havia “mãos maliciosas” por trás de ações que tiveram por alvo manifestantes e pessoal de segurança.

No sábado, o primeiro-ministro do Iraque, Adel Abdul-Mahdi, anunciou várias medidas para atender às reivindicações dos manifestantes, como o pagamento de auxílio-desemprego e a oferta de moradias subsidiadas para a população carente. Também prometeu se encontrar com os manifestantes e ouvir suas exigências.

Veja também

Glenn Greenwald acusa Intercept de censura e anuncia saída do site
censura

Glenn Greenwald acusa Intercept de censura e anuncia saída do site

Merkel cria diálogo imaginário com coronavírus para defender novo bloqueio
Coronavírus

Merkel cria diálogo imaginário com coronavírus para defender novo bloqueio