Putin lança quatro mísseis balísticos durante testes militares

O Ministério da Defesa russo informou que todas as missões do programa de exercícios foram concluídas com sucesso

Presidente Vladimir Putin em cerimônia de fim das armas químicas russasPresidente Vladimir Putin em cerimônia de fim das armas químicas russas - Foto: Mikhail Klimetyev/AFP

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, lançou quatro mísseis balísticos durante exercício militar realizado na quinta-feira (26), pelas Forças Estratégicas russas, segundo informações divulgadas hoje pelo Kremlin. "O comandante supremo lançou quatro mísseis balísticos", disse à imprensa o porta-voz da presidência da Rússia, Dmitry Peskov. As informações são da EFE.

Leia também:
Trump e Putin se encontram pela primeira vez e trocam elogios no G20
Rússia destrói último lote de armas químicas


Ele explicou que Putin participou de alguns exercícios de coordenação de comandantes que incluíram uma unidade de foguetes de lugar terrestre, dois submarinos nucleares e vários aparatos da aviação estratégica.

O foguete balístico de lugar terrestre, um Topol, foi disparado a partir da base de Plestsek, situada no Noroeste da Rússia, e impactou no polígono de Kura, no extremo leste do país.

Dois outros mísseis balísticos foram lançados simultaneamente a partir um submarino situado no mar de Ojotsk e atingiram os alvos no polígono de Chiza, no Noroeste da Rússia.

O quarto foguete intercontinental foi lançado de um submarino nas águas do mar de Barents contra um alvo localizado no polígono de Kura.

Além disso, vários aparelhos da aviação estratégica localizados em diversos aeródromos do país efetuaram lançamentos de mísseis de cruzeiro.

O Ministério da Defesa russo declarou que todas as missões contempladas no programa de exercícios foram concluídas com sucesso.

Veja também

EUA realiza última execução do mandato de Trump
EUA

EUA realiza última execução do mandato de Trump

Twitter suspende contas de ex-chefes das Farc que retomaram armas na Colômbia
Twitter

Twitter suspende contas de ex-chefes das Farc que retomaram armas na Colômbia