Qatar Airways volta a transportar passageiros de países afetados por decreto de Trump

Site da Qatar Airways afirma que a empresa irá aplicar as novas normas sempre e quando os passageiros tiverem um visto em vigor

AviãoAvião - Foto: Paulo Pinto/Fotos Públicas

A companhia aérea Qatar Airways anunciou neste sábado (4), após o bloqueio por um juiz federal da ordem executiva anti-imigração do presidente Donald Trump, que voltará a transportar para os Estados Unidos cidadãos dos sete países afetados pela proibição de entrada em território americano.

Leia mais: Trump classifica de 'ridícula' decisão judicial que suspende decreto migratório

No Egito, um representante do aeroporto do Cairo informou que as companhias aéreas haviam recebido uma nota do aeroporto JFK, de Nova York, sobre a suspensão do decreto presidencial que impede a entrada nos Estados Unidos de cidadãos de Iraque, Irã, Líbia, Somália, Sudão, Síria e Iêmen, bem como todos os refugiados.

O site da Qatar Airways afirma que a empresa irá aplicar as novas normas sempre e quando os passageiros tiverem um visto em vigor.

"Os cidadãos dos sete países, bem como todos os refugiados que tiverem visto ou residência permanente (Green Card), serão autorizados a viajar para os Estados Unidos", indica o comunicado.

Em Teerã, uma agência de viagens aconselhou os cidadãos que desejam viajar para os Estados Unidos a embarcar o mais rapidamente possível, uma vez que a Casa Branca ordenou ações para reverter a decisão da Justiça.

A Qatar Airways viaja para pelo menos 15 cidades americanas, entre elas Nova York, Atlanta e Chicago.

Veja também

Policiais do Capitólio prendem homem que tentou passar por barreira
Capitólio

Policiais do Capitólio prendem homem que tentou passar por barreira

EUA realiza última execução do mandato de Trump
EUA

EUA realiza última execução do mandato de Trump