Mundo

Quase 180 desaparecidos em naufrágio no Mediterrâneo

Número foi estabelecido a partir do testemunho de quatro sobreviventes

RefugiadosRefugiados - Foto: Andreas Solaro/AFP

O balanço do naufrágio de sábado (14) diante da costa líbia subiu para quatro mortos e cerca de 180 desaparecidos, anunciaram nesta terça-feira (17) o Alto Comissariado da ONU para os Refugiados (ACNUR) e a Organização Internacional para as Migrações (OIM)

Este número foi estabelecido a partir do testemunho de quatro sobreviventes, que chegaram na noite de segunda-feira ao porto de Trapani, no oeste da Sicília.

Estes quatro sobreviventes, três homens e uma mulher, "abalados e esgotados", explicaram que partiram na sexta-feira da Líbia com mais de 180 pessoas, todas procedentes do Chifre da África, a bordo de uma embarcação de madeira de dois andares, informaram à AFP porta-vozes das duas organizações.

Depois de cinco horas de navegação, o motor quebrou e a embarcação começou a afundar.

Um dos resgatados afirmou que tentou em vão encontrar sua esposa, que havia se instalado no centro da embarcação.

Depois de permanecer na água por várias horas, os sobreviventes foram resgatados a 30 milhas náuticas da costa líbia por um navio francês, que participa da operação Triton da agência europeia de controle de fronteiras, Frontex.

Posteriormente foram levados à Siem Pilot, uma embarcação norueguesa integrada também no dispositivo da Frontex.

Veja também

Fundadora do Exército Vermelho Japonês é solta da prisão após 20 anos
Japão

Fundadora do Exército Vermelho Japonês é solta da prisão após 20 anos

Após massacre no Texas, Trump pede que cidadãos se armem para combater o "mal"
Estados Unidos

Após massacre no Texas, Trump pede que cidadãos se armem para combater o "mal"