Reino Unido promete 10 milhões de libras para a Amazônia

O dinheiro será colocado imediatamente à disposição para ajudar e restaurar o habitat, anunciou o governo britânico em um comunicado divulgado na reunião do G7 em Biarritz

AmazôniaAmazônia - Foto: Lula Sampaio/AFP

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, prometeu nesta segunda-feira (26), 10 milhões de libras esterlinas (aproximadamente 50,4 milhões de reais) em fundos para a Amazônia, em resposta aos incêndios que afetam a maior floresta tropical do planeta.

O dinheiro será colocado imediatamente à disposição para ajudar e restaurar o habitat, anunciou o governo britânico em um comunicado divulgado na reunião do G7 em Biarritz. "Em uma semana na qual todos assistimos, horrorizados, como a floresta amazônica queima diante de nossos olhos, não podemos escapar da realidade do ano que estamos infligindo à natureza", afirmou Johnson no comunicado.

Leia também:
Nasa diz precisar de tempo para saber se queimadas de 2019 alcançarão recorde anual ou não
Manifestantes vão às ruas contra política ambiental de Bolsonaro e queimadas na Amazônia
Bolsonaro pretende enviar Exército para combater queimadas na Amazônia


A promessa de recursos foi anunciada depois que o presidente francês, Emmanuel Macron, anfitrião do encontro de cúpula, informou no domingo que as potências do G7 chegaram a um acordo para ajudar "o mais rápido possível" os países afetados pelos incêndios. Macron prometeu "meios técnicos e financeiros" em resposta aos incêndios que afetam a região amazônica.

No Brasil as chamas devastaram áreas na região de fronteira com a Bolívia e provocaram uma fumaça densa que aumenta a poluição ao longo da Amazônia, um tesouro ecológico de 5,5 milhões de quilômetros quadrados. Sob pressão internacional, o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, determinou no domingo o envio de dois aviões Hércules C-130 e uma vasta operação militar para controlar os incêndios. Entre sexta-feira e sábado foram registrados 1.130 novos incêndios, de acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), a maioria na bacia do rio Amazonas.

Veja também

UE adota cautela sobre levantamento de patentes e defende exportações
PANDEMIA

UE adota cautela sobre levantamento de patentes e defende exportações

Covid-19: OMS aprova vacina Sinopharm no consórcio Covax Facility
Vacina

Covid-19: OMS aprova vacina Sinopharm no consórcio Covax Facility