Remessas de migrantes cairão 20% em 2020 devido à crise da Covid-19

Estudo projeta que os envios de remessas para países de baixa e média renda diminuirão 19,7% em todo o mundo a US$ 445 bilhões

Migrantes brasileiros no México Migrantes brasileiros no México  - Foto: Herika Martinez / AFP

As remessas enviadas pelos migrantes registrarão uma queda "sem precedentes" - com uma redução de quase 20% - devido à crise do coronavírus, que deixa os trabalhadores estrangeiros em uma situação altamente vulnerável, estimou o Banco Mundial.

Segundo um relatório publicado nesta quarta-feira (22) pelo BM, as remessas para a América Latina e o Caribe cairão 19,3% e a entidade alertou que os custos de envio de dinheiro podem aumentar devido à crise.

O estudo projeta que os envios de remessas para países de baixa e média renda diminuirão 19,7% em todo o mundo a US$ 445 bilhões, o que representa uma perda crucial de renda para muitos locais vulneráveis.

Leia também:
Itália autoriza desembarque de 363 migrantes recolhidos no mar
Documentário, que retrata drama de migrantes, será lançado no dia 20


Em alguns países, os envios de trabalhadores migrantes representam até um quarto do PIB, incluindo Sudão do Sul, Haiti, Nepal, Montenegro e Tonga. Os esforços para conter a pandemia estão causando uma desaceleração acentuada e, de acordo com o relatório, a recessão pode se prolongar além de 2021.

Veja também

América Latina e Caribe superam 40 milhões de casos de Covid-19
Coronavírus

América Latina e Caribe superam 40 milhões de casos de Covid-19

Nasa seleciona SpaceX para missão à lua de Júpiter
ESPAÇO

Nasa seleciona SpaceX para missão à lua de Júpiter