Rússia interferiu e ajudou eleição de Trump, diz novo estudo do Congresso

De acordo com o relatório, não há dúvida de que a Rússia agiu de maneira a beneficiar o atual presidente Donald Trump e prejudicar a candidata Hillary Clinton

Os presidente dos EUA, Donald Trump, e da Rússia, Vladimir PutinOs presidente dos EUA, Donald Trump, e da Rússia, Vladimir Putin - Foto: Mikhail Klimentyev/Sputnik/AFP

Em um comunicado divulgado nesta quarta-feira (16), a Comissão de Inteligência do Senado dos EUA concluiu que a Rússia interferiu nas eleições que elegeram Donald Trump à Presidência, favorecendo o republicano. "Foi um esforço extensivo, sofisticado e ordenado pelo próprio presidente [Vladimir] Putin com o propósito de ajudar Trump e prejudicar Hillary Clinton", afirmou o senador democrata Mark Warner, vice-presidente da comissão.

A conclusão é uma clara oposição ao relatório feito por republicanos na Câmara dos EUA, que concluíram que não houve benefício a Trump. Na época, os deputados questionaram a conclusão das agências de inteligência americanas, que concluíram que a intenção dos russos era beneficiar o atual presidente.

Os senadores avaliaram a mesma investigação, e referendaram as conclusões do grupo, integrado pela CIA, FBI e NSA (Agência de Segurança Nacional). A nota foi assinada pelo republicano Richard Burr, senador e presidente da comissão, que informou ter passado 14 meses analisando os documentos oficiais."Não há razão para contestar as conclusões. Não há dúvida de que a Rússia agiu de maneira sem precedentes para interferir em nossas eleições", afirmou Burr.

Leia também:
Rússia diz não haver provas de que país interferiu na eleição dos EUA
Senado convoca filho de Trump para depor sobre suposto elo com Rússia


A comissão, que interrogou todos os ex-diretores dos órgãos de inteligência, está trabalhando no relatório final, que deve ser classificado e divulgado na sequência. Trump ainda não havia comentado a notícia até a publicação desta reportagem, a tarde desta quarta-feira.

Veja também

Trump sairá de Washington horas antes da posse de Biden na quarta-feira (20)
Estados Unidos

Trump sairá de Washington horas antes da posse de Biden na quarta-feira (20)

WhatsApp adia alteração de normas de serviço após fuga de usuários
Privacidade

WhatsApp adia alteração de normas de serviço após fuga de usuários